Música: Fattu Djakité lança no mercado seu primeiro álbum “Praia-Bissau”

Cidade da Praia, 09 Nov (Inforpress) – A cantora Fattú Djakité vai disponibilizar no dia 25 de Novembro, em todas as plataformas digitais, seu novo álbum intitulado “Praia-Bissau” uma viagem de volta às suas raízes, gravado no Brasil em 2017.

Fatumatá Djaquité, de nome artístico Fattú Djakité, nasceu em Março de 1991 em Bissau e reside desde os 5 anos de idade em Cabo Verde, onde viveu toda a infância, adolescência e fase adulta, mas sempre manteve, para além da cabo-verdianidade, a guineendade em si, toda a cultura desde a gastronomia à língua, daí que originou o projecto “Praia-Bissau”.

A cantora que se define como abundância e liberdade, conceitos reflectidos também no álbum que carrega “muito boa energia”, falava hoje em declarações à Inforpress, tendo referido que não se pode falar de Fattu Djakité “sem pensar na Praia e Bissau”.

“Praia-Bissau é uma viagem de volta para as minhas raízes, é como se estivesse num voo de Bissau-Praia e de regresso Praia para Bissau para mostrar as riquezas de ambos os países”, contou.

Este projecto, concretizou, poderia ter saído há muito, mas, no entanto, deparou-se com inúmeros contratempos, mas estes cinco anos serviram para preparar para melhor defender a sua obra e regressar ao mercado.

“Porque não dependia só de mim, foi um momento para eu me preparar como pessoa e artista para eu poder defender o meu álbum, então é agora que estou a sentir que já é o momento certo para o lançamento. Então esta é a minha confirmação enquanto artista para que eu possa entrar no mercado”, narrou a artista.

Com novas roupagens, o álbum de 12 faixas, 11 músicas mais um remix, segundo revelou, foi produzido por um produtor brasileiro Maurício Pacheco e contém várias nacionalidades desde Cabo Verde, Guiné-Bissau, Israel, Brasil, um álbum “rico” de culturas de músicas.

Conforme identificou Fattú Djakité, “Praia-Bissau”, além de clássicos de Guiné-Bissau e Cabo Verde, possui sete composições inéditas, sendo uma da cantora e compositora Elida Almeida e um de Djoy Amado, contando com participação especial do ‘rapper’ brasileiro Emicida.

Das composições inéditas “Kumakê” e “minina d’oru” são da autoria da Fattu Djakité, a última aborda o empoderamento feminino, com destaque à importância de as mulheres nunca perderem a essência.

Fattú Djakité destacou ainda a música intitulada “Guiné-Bissau”, uma homenagem ao seu país de origem, sublinhando que uma das expectativas é estar no mercado, fazer shows, turnês, defender o álbum bem como “viver um bocado” este projecto.

A cantora quer também que o álbum atinja, principalmente, as nações cabo-verdiana e guineense, que há muito têm vindo a esperar por este trabalho.

A ilustração do álbum foi feita pela cantora, que também é artista plástica, pretendendo juntamente com o álbum, com a sua comunicação, apresentar a sua arte para que seja reconhecida não só como cantora, mas, igualmente, como artista plástica.

TC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos