Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Museu Etnográfico acolhe exposição temporária “Brinquedos, brincadeiras e jogos tradicionais de outrora”

Cidade da Praia, 23 Dez (Inforpress) – O Museu Etnográfico acolhe, a partir de hoje, a exposição temporária “Brinquedos, brincadeiras e jogos tradicionais de outrora”, que tem por objectivo salvaguardar para a revitalização da memória colectiva e o conhecimento das presentes e futuras gerações.

Segundo a coordenadora do Museu Etnográfico da Praia, Aleida Aguiar, a exposição enquadra-se no âmbito da rotatividade dos conteúdos do museu e pretende resgatar e valorizar a prática dos jogos tradicionais enquanto parte do património lúdico que reflectem tradições culturais e vivências de Cabo Verde.

“A exposição vem resgatar um pouco daquilo que é o nosso património lúdico, mostrar aos jovens como se brincava antigamente, com o pouco que tinha. Mostrar como valorizar aquilo que é o nosso património”, explicou.

A exposição “Brinquedos, brincadeiras e jogos tradicionais de outrora”, segundo a coordenadora do Museu Etnográfico, é um encontro de dois extremos que são os pilares da sociedade cabo-verdiana.

“Vamos ter hoje o encontro dos dois extremos, os idosos e as crianças, promovendo assim uma dinâmica entre essas duas gerações que são os pilares da nossa sociedade. Os idosos vão ensinar como se faziam os brinquedos e como brincar com eles.”

A exposição resgata as antigas brincadeiras tradicionais de Cabo Verde como carro de lata, bonecas de pano, jogos de carambola, oril e cartas, bem como amalha e bola de meia.

Lucas, uma das crianças que estiveram na abertura da exposição, confessou que prefere as brincadeiras tradicionais, mesmo não conhecendo todos.

“Prefiro essas brincadeiras. Sei jogar cartas, oril, e jogar pião só não sei jogar amalhas e fazer carros de lata, mas já brinquei com carros de lata”, conta.

Dona Jacinta, uma idosa, lamentou o facto de as crianças preferirem as novas tecnologias, e lembrou emocionada como eram as brincadeiras de antigamente.

“Antigamente, não tínhamos tempo para brincar. Nós fazíamos os nossos próprios brinquedos com barro, resto de tecido velho e lata. Hoje as crianças não têm paciência para fazer essas coisas, preferem ver televisão ou estar no Facebook”, disse.

A exposição proporciona momentos de interacção e trocas de vivências entre duas gerações, crianças e idosos, e está aberta ao público por um período de três meses.

ES/ZS

Inforpress/Fim.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos