Município de São Miguel está a conhecer uma profunda mudança a vários níveis – edil Herménio Fernandes

 

Calheta São Miguel, 28 Set (Inforpress) – O Concelho de São Miguel, a par daquilo que o país está a viver, está a conhecer uma “profunda mudança”, tanto ao nível do tecido produtivo, social, com uma nova dinâmica de crescimento ao nível do comercial local e infraestruturação.

O edil de São Miguel, Herménio Fernandes fez esta afirmação hoje, quando discursava na sessão solene da comemorativa ao 20º aniversário da criação do município de São Miguel, acto a que foi presidido pelo ministro das Finanças, Olavo Correia.

Qualificação ambiental, promoção da boa governação e reforço do capital humano, são outras “novas dinâmicas de crescimento” que segundo o autarca, o concelho conheceu.

Mesmo com estes ganhos, realçou que ainda têm “importantes desafios a ultrapassar”, como o combate ao subemprego, a economia informal, o desemprego jovem e a pobreza que ainda afecta uma parte significativa da população, tendo sublinhado que, ao contrário do que se diz, o seu concelho “não é o mais pobre do país”.

Para isso, sustentou que para se ter um município atractivo, competitivo, desenvolvido e com qualidade de vida, no qual estão “empenhados”, é preciso participação da sociedade civil e parceiros.

Em jeito de balanço do primeiro ano de mandato, Herménio Fernandes elencou como alguns feitos já alcançados, a requalificação urbana de vários bairros, construção de estradas e calcetamentos, construção de passeios, construção de placas desportivas e reabilitação de polivalentes.

Apontou ainda a construção e arranjos de 16 parques de estacionamento, construção de delegação municipal, espaços jovens, construções de habitações sociais de raiz e reabilitação de outras, atribuição de bolsas para formação profissional e subsídios no ensino superior, modernização administrativa e do atendimento público na autarquia com criação de Balcão Único, entre outros ganhos.

“Todos estes investimentos foram feitos em São Miguel e estão ao serviço dos cidadãos, das empresas e daqueles que vivem, trabalham e visitam São Miguel”, disse, lembrando que “tudo isto foi executado” em um ano e meio (de Fevereiro de 2016 a Setembro de 2017).

No dizer do autarca, tais investimentos mudaram o panorama social e económico do concelho com melhoria do ambiente de negócios, criação de empregos, redução acentuada da delinquência juvenil, onde hoje se pode dizer que o registo é “baixíssimo” no município, com redução das desigualdades e da pobreza.

“É notória que a autoestima dos micaelenses se elevou, que há mais liberdade, mais respeito pelos direitos do homem, mais confiança no futuro do município e em suma que as pessoas no geral estão mais felizes do que há 20 anos”, enfatizou.

Relativamente às relações entre a câmara e o Governo, diz que o poder local em Cabo Verde está a “viver uma nova alargada”, e abriu-se um “novo capitulo” marcado por um “ambiente saudável, transparente, de cooperação, com reforço da descentralização, a disponibilização de mais recursos financeiros ao município, que tem permitido a edilidade fazer obras e dar respostas às demandas socais.

FM/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos