Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mundo precisa “novas alianças” e não estar reduzido à rivalidade China-EUA – Macron

Nações Unidas, 22 Set (Inforpress) – O Presidente de França, Emmanuel Macron, disse hoje, na Assembleia Geral das Nações Unidas, que o planeta “não pode ser reduzido à rivalidade” entre a China e os Estados Unidos, razão pela qual é necessário construir “novas alianças”.

“O mundo, como é hoje, não pode ser reduzido à rivalidade entre a China e os Estados Unidos”, vincou Emmanuel Macron no discurso que proferiu durante a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), apelando à comunidade internacional para a construção de “novas alianças”.

O chefe de Estado francês acrescentou que os restantes países não podem ser reduzidos a “nada mais do que lamentáveis espectadores de uma impotência colectiva”.

O discurso de Macron, mais longo do que o da maioria dos outros intervenientes no debate geral, também focou a exigência, de Washington em repor as sanções económicas contra Teerão, recusando-a.

“França, juntamente com os seus parceiros alemães e britânicos, manterá a demanda pela plena implementação do acordo de Viena”, firmado em 2015 a respeito da energia nuclear, disse o Presidente francês, mas “não aceitará as violações cometidas” pelo Irão.

Contudo, Paris não vai “ceder” no que diz respeito à activação do mecanismo que repunha as sanções e que é reclamado por Washington, uma vez que os EUA, “por si só, ao saírem do acordo, não estão em condições de o activar”.

Sobre este assunto, o homólogo iraniano, Hassan Rohani, disse, através de uma mensagem gravada que foi transmitida durante a Assembleia Geral da ONU, que o vencedor das eleições presidenciais norte-americanas, em 03 de Novembro, não terá “escolha a não ser ceder” às exigências feitas por Teerão relativamente ao levantamento das sanções.

A semana de alto nível na Assembleia Geral da ONU começou hoje, num formato sem precedentes nos 75 anos da organização, em que os discursos de chefes de Estado e de Governo será feita por vídeos previamente gravados, devido à pandemia.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos