Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mulher que descobriu talento para artes plásticas em confinamento apresenta obras em exposição

Cidade da Praia, 29 Out (Inforpress) – Cláudia Barbosa, uma mulher de 44 anos que descobriu talento para artes plásticas em tempos de confinamento, devido à pandemia da covid-19, tem patente, a partir de hoje, a exposição “Dois cenários”, na Rua d’Arte -Terra Branca, na Praia.

Em declarações à Inforpress, Cláudia Barbosa revelou que iniciou-se há quase dois anos no mundo da arte, altura que foi declarado estado de emergência em Cabo Verde, devido à pandemia da covid-19. Começou com a decoração de vasos de plantas e, pelo que conta, as produções funcionavam como “uma terapia”.

“O meu marido é artista plástico, ele e os nossos filhos desciam todos os dias para a galeria para pintar e eu ficava a tomar conta da casa, então chegou um dia que resolvi também descer para pintar, daí nunca mais parei”, narrou.

Esta é a terceira exposição da Cláudia Barbosa que, só neste período pandémico, já exibiu duas vezes suas artes à porta fechada, devido às restrições impostas pela pandemia, ambas intituladas “O lado bom do confinamento”.

“Fiquei satisfeita porque comecei a ver um outro lado do meu eu, além de dona de casa. Passei quase dez anos a trabalhar em casa, dando explicação às crianças, cuidando de casa (…), e agora tenho esse lado artístico que retrata um outro lado do meu eu”, exclamou.

É neste sentido, elucidou Barbosa, que a exposição que engloba também a exibição das artes de uma outra colega artista, foi denominada “Dois cenários”, cenário de dona de casa e o cenário das artes.

Os materiais usados para a produção das obras, mencionou, é uma mistura de tudo o que tem forma e que é considerado lixo, transformando-os em artes decorativas.

Para além de vasos, desta vez Cláudia Barbosa apresenta telas, almofadas, mesas, de entre outros objectos.

O lucro que consegue tirar, segundo ela, é o suficiente para a motivar a continuar com a suas produções.

Para as mulheres de artes, a artista encorajou-as a continuar nesse ramo que “tão bem” tem feito a ela. Aliás, conforme afirmou, começou como terapia e hoje não vive um dia  sem pintar.

Cláudia Barbosa disse esperar que a exposição “Dois cenários”, que vai estar patente até o dia 15 de Novembro, tenha uma boa adesão e um feedback positivo por parte do público.

TC/CP
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos