MpD estranha preocupações do PAICV e reitera o compromisso do Governo na busca de soluções “sólidas” e “satisfatórias” para CVTelecom

Cidade da Praia, 06 Fev (Inforpress) – O MpD estranhou hoje as preocupações manifestadas pelo PAICV sobre a venda dos 40% das acções da CV Telecom, reiterando que o actual Governo está a trabalhar “arduamente” na busca de soluções “sólidas” e “satisfatórias” para a empresa.

O secretário-geral do Movimento para a Democracia (MpD-poder), Miguel Monteiro, fez estas declarações em conferência de imprensa, em reacção às afirmações feitas pela presidente do Partido Africano para a Independência de Cabo Verde(PAICV-oposição), Janira Hopffer Almada, aquando da sua visita hoje efectuada à empresa CVTELECOM, na Cidade da Praia.

Neste sentido, a líder do maior partido da oposição mostrou-se “preocupada” com o processo de venda dos 40% das acções da Cabo Verde Telecom à empresa brasileira Oi, acusando o Governo de falta de informação.

Reagindo, Miguel Monteiro lembrou que é da inteira responsabilidade do Governo do PAICV a acção intentada pela PT Ventures/Oi contra o Estado de Cabo Verde no Tribunal Comercial Arbitral de Paris, com custos que podem ser muito elevados para o país.

O responsável partidário salientou que o actual Governo está a tentar encontrar uma solução negociada para a retirada dos processos judiciais, solução essa que “conhecerá nos próximos tempos um “esperado desfecho positivo”.

“O actual Governo está a encetar todos os esforços para que não haja prejuízos para a CV Telecom, apesar deste processo vir da anterior legislatura e do anterior governo. Estamos certos e convictos que o actual Governo saberá precaver eventuais prejuízos, e que os interesses do país e dos cabo-verdianos estão salvaguardados”, frisou.

Quanto às às afirmações da líder do PAICV sobre o atraso na introdução da quarta geração de telefonia móvel 4G, afirmou que o concurso para a atribuição das frequências já foi lançado a 24 de Dezembro, com a publicação em diversos jornais, bem como na página da ARME, adiantando que até 22 de Fevereiro próximo os interessados irão fazer a apresentação de propostas e que as licenças serão atribuídas aos operadores conforme a análise da ARME.

“Desta forma, prevê-se que até ao final do I semestre deste ano, tenhamos 4G em Cabo Verde, mostrando que as afirmações de Janira Hopffer Almada são totalmente despropositadas. E não é por falta de informação, mas por ma fé, tendo em conta que o concurso para 4G é público e foi publicitado nos jornais e nas redes sociais”, adiantou.

Relativamente à afirmação da líder do PAICV sobre o facto do processo de concessão da gestão da rede de infra-estruturas continua a ser gerida pela CVTelecom, o secretário-geral do MpD disse que esta afirmação mostra várias incongruências e que a posição dela é totalmente contrária à solução que o governo que ela pertencia adoptou.

Para este deputado do partido que sustenta o Governo, a presidente do PAICV, ao mesmo tempo que reclama de informações, não presta atenção às informações que publicamente são assumidas, acrescentando que o PAICV mostra um desconhecimento total da forma como funciona o sector das comunicações electrónicas.

“Janira Hopffer Almada mostrou-se muito distraída, passando ao lado de questões já decididas e tornadas públicas, na ânsia de criar factos públicos e é pertinente referir que juntamente com o processo de criação da ARME, o Governo anunciou a criação da lei da concorrência e de uma autoridade da concorrência, a começar pela instalação a breve trecho de uma comissão instaladora”, concluiu.

CM/JMV

Inforpress/Fim.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos