MpD defende que o OE para 2020 estabelece as dotações necessárias para financiar políticas que visam desenvolver o país

Cidade da Praia, 28 Nov (Inforpress) – O Movimento para Democracia (MpD, poder) defendeu hoje que o Orçamento do Estado (OE) para o ano económico de 2020 estabelece as dotações necessárias para financiar as políticas que visam desenvolver Cabo Verde a “passos seguros”.

A consideração foi feita pelo líder da bancada parlamentar do MpD, Rui Figueiredo, durante a primeira intervenção no debate sobre o Orçamento do Estado para o ano económico de 2020.

Conforme avançou, em 2020 será o ano da “consolidação das reformas” em curso, com novas oportunidades para as famílias e para os jovens, sem perder de vista os “grandiosos desafios” inerentes à Nação, bem como a resiliência perante as mudanças climáticas que assolam o Cabo Verde.

Segundo Rui Figueiredo, este orçamento “sustenta os níveis de crescimento económico” que o país tem experimentado nos últimos anos, que, nesta linha, “vem garantir” ao arquipélago um “quadro macroeconómico de estabilidade”, com todas as garantias aos investidores nacionais e estrangeiros.

No seu entender, as prioridades deste Governo para o OE de 2020 passam por “diversificar a economia”, criando novas oportunidades e emprego digno, actuar para melhorar, de forma substancial, o ambiente de negócios e o clima de investimentos, dotar o país de infra-estruturas inteligentes, nomeadamente em matéria de conectividade, transportes aéreos e marítimos, sector energético, entre outros.

“Aumentar, também, a dinâmica do crescimento da economia, para atingir o crescimento de sete por cento (%), consolidar os sectores produtivos tradicionais e ancorar a economia firmemente na revolução digital”, salientou.

De acordo com Rui Figueiredo, a proposta do OE para 2020 é de aproximadamente 73 mil milhões de escudos, que prevê o crescimento do PIB entre 4,8% e 5,8% e que contempla uma redução sustentada do deficit orçamental para 1,7%.

“Trata-se de um orçamento que mantém a trajectória decrescente da divida pública, registada em 2019, para uma projecção de 122%, que em 2020 atinja 118% do PIB”, atestou, ressaltando que a inflação manter-se-á em 1,3%, a taxa de desemprego deverá diminuir dos 125% em 2019 para 11,4% em 2020.

Neste contexto, manifestou que a proposta do OE para 2020 é a continuidade da consolidação de reformas, visando a criação de mais oportunidades para os jovens, incentivando às empresas, com o apoio na promoção empresarial, no acesso ao financiamento, mas também na criação de oportunidades, ou seja, “reformar para aumentar o potencial da economia cabo-verdiana”.

Concluiu,  afirmando que com a sua aprovação, o Governo suportado pelo MpD “cumpre, uma vez mais”, os compromissos assumidos com o desenvolvimento do país, o que “transmite a confiança” de que se está a traçar o caminho certo.

HR/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos