Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

MpD considera “irresponsáveis” as críticas do PAICV sobre estágio profissional (c/áudio)

Cidade da Praia, 03 Set (Inforpress) – A Comissão Política Santiago Sul (CPSS) do Movimento para a Democracia (MpD) considerou hoje as críticas do PAICV sobre o estágio profissional de “irresponsáveis”, garantindo ainda que os três meses de atrasos sistemáticos denunciados “é falso”.

“O PAICV, de facto, tem-nos habituado com os seus discursos de que tudo está mal, mas o que causou espanto foi a coragem deles de falarem de juventude e estágio profissional (…), um programa que visa criar oportunidades de inserção dos nossos jovens no mercado de trabalho e que nos últimos três anos transferiu para as famílias cabo-verdianas mais de 700 mil contos por via do subsídio do estágio”, afirmou Andyra Lima, da Comissão Política de Santiago Sul do MpD, em conferência de imprensa.

Andrya Lima que falava das acusações do partido da oposição (PAICV) sobre os atrasos sistemáticos no pagamento do estágio profissional, explicou que o programa apresenta uma taxa de inserção dos jovens no mercado de trabalho acima dos 60 por cento (%), afirmando, por outro lado, não entender a posição da oposição contra políticas activas de emprego.

Segundo aquele membro da CPSS do MpD “é totalmente falso” que tenha havido atrasos sistemáticos e “falso quando o PAICV vem dizer que todos os estagiários se encontram com 3 meses de subsídio em atraso”.

“Queremos tranquilizar os nossos estagiários, que neste momento, são quase 1.200 e dizer que de facto alguns têm, de momento, atrasos nos seus subsídios, e informá-los que o Governo já está a trabalhar numa solução, pelo que brevemente estes beneficiários do programa de estágios profissionais receberão os subsídios normalmente, incluindo os meses em atraso”, declarou.

Neste âmbito, realçou que desde 2016, é a primeira vez que tem acontecido atraso no pagamento dos subsídios a alguns estagiários justificando a demora pelo facto do Programa de Estágio Profissional ser financiado via ajuda orçamental com apoio da Cooperação Luxemburguesa, e uma parte com recursos nacionais (do tesouro).

Assim sendo, sublinhou que a causa do atraso está no processo de transição do PIC IV para o PIC V, ou seja, dos novos desembolsos da ajuda orçamental destinada à execução dos principais programas de promoção ao emprego.

Apesar das afirmações, a represente do MpD não soube quantificar sobre quantos estagiários estariam sem receber os subsídios há cerca de dois meses, segundo garantiu, e nega o facto de os estágios terem sido criados para proveito eleitoralista.

Ainda no que respeita ao estágio profissional a CPSS de MpD lembrou ao Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) que durante a sua governação houve vários atrasos com pagamentos, inclusive em 2013, no período de transição de PIC II para o PIC III.

“Este Governo é bem avaliado por todos os parceiros da cooperação internacional, em relação à promoção das políticas activas do emprego”, salientou, afirmando que o Programa de Estágio Profissional é um dos programas do PEDS com melhor desempenho.

O programa, segundo referiu, conseguiu reduzir o desemprego de 15,0% em 2016 a 11,3% em 2019 e o desemprego jovem de 41,0% em 2016 a 24,9% em 2019, onde o sector privado afirma-se como maior gerador de empregos.

Ainda segundo Andrya Lima, o MpD conseguiu melhorar, de forma visível, a formação dos jovens, o empreendedorismo e a inserção produtiva, a empregabilidade, a cobertura da segurança social, a qualificação face ao emprego, a liderança do sector privado enquanto empregador e reduziu a exclusão dos jovens.

 O programa de estágios profissionais empresariais pensado por este Governo, conforme frisou, conseguiu resultados nunca antes “sentidos pelos jovens e pelas famílias cabo-verdianas”, sendo que no período de 2018 ao primeiro trimestre de 2021, foram contemplados um total de 7.465 jovens.

“Os jovens beneficiados passaram de 654 no ano 2018 para 2.149 no ano 2021. Temos hoje Programa de Estágios Profissionais e Empresariais (PEPE) que já beneficiou 6.996 jovens e Programa de Estágios Profissionais para Inovação e Tecnologia (PEP-IT) que beneficiou 214 jovens”, disse.

Apontou ainda o Programa de Estágios Profissionais de Inclusão Social (PEPIS), que em 2019 beneficiou 65 jovens e o Programa de Estágios Profissionais na Administração Pública (PEPAP) que visa proporcionar jovens com formação superior, uma oportunidade de estágio em contexto real de trabalho, que já beneficiou um total de 190 jovens.

“Com isso, queremos dizer aos jovens que nunca antes se fez tanto por eles e pelo emprego jovem em Cabo Verde, e fica a promessa, de que não esmorecemos perante ataques vis de uma oposição falida que nada fez ou faz a favor dos jovens cabo-verdianos e agora quer aproveitar-se de uma situação, por terem interesses outros”, finalizou, prometendo que o Governo do MpD vai continuar a trabalhar a favor dos jovens.

PC/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos