MpD assume formação de quadros políticos como uma das obrigações para com a democracia

 

Cidade da Praia, 10 Out (Inforpress) – O Movimento para a Democracia (MpD-no poder) assume a formação de quadros políticos como uma das obrigações para com a democracia, afirmou hoje, na Cidade da Praia, o presidente da Academia do partido, Lourenço Lopes.

Em conferência de imprensa, o responsável explicou que é com este objectivo que será realizada em Ribeira Grande de Santiago, nos dias 12, 13 e 14 de Outubro, a I Universidade de Verão (UV) do MpD, sustentando que a ideia é fazer com que o evento, que se quer realizar todos os anos, seja uma “escola de passagem obrigatória para quadros do partido”, mas também para o seguimento da sociedade civil.

“O MpD, como uma estrutura política responsável, assume a formação de quadros políticos como uma das obrigações para com a democracia, por isso, encaramos esta edição da UV, como um espaço importante para o trabalho que iremos desenvolver nos próximos anos, para que o MpD esteja preparado para encarar os inadiáveis e ingentes desafios que temos pela frente em matéria de desenvolvimento de Cabo Verde”, frisou.

Para Lourenço Lopes, é no diálogo permanente com a sociedade que será possível construir as “melhores soluções” para o país, assegurando que há uma “grande vontade política” em realizar os compromissos assumidos perante os cabo-verdianos e que a Academia do MpD pode desempenhar um papel “importante” neste sentido.

“Em Cabo Verde temos que fazer a política de forma rigorosa, séria e com sentido de serviço pública”, notou, realçando que deve haver disponibilidade dos principais actores políticos em estar “concertados e convergidos” em relação àquilo que são os “grandes desígnios da nação cabo-verdiana” em sectores como a educação, defesa e juventude.

No entender do presidente da Academia do MpD, a contribuição para uma política “séria, rigorosa e ao serviço dos cabo-verdianos” é algo que o seu partido está comprometido em conseguir, observando que as pessoas devem ter uma atitude crítica perante a governação do país, mesmo aqueles que pertencem ao partido que sustenta o Governo.

Presente na conferência de imprensa esteve também o presidente da JpD, Euclides Silva, segundo o qual o evento terá a participação de 60 jovens de todos os concelhos do país, sendo que as áreas temáticas para os três dias do encontro vão desde a história do MpD e Cabo Verde, ao poder local, educação e ciência, turismo e emprego jovem, entre outras.

O professor universitário Daniel Santos, o presidente da Câmara Municipal da Praia, Óscar Santos, o membro da Comissão Política Nacional do MpD e ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, a ministra da Educação, Maritza Rosabal, os especialistas em comunicação Paulo Colaço e Beatriz Ferreira, o vice-presidente do MpD e ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, e o secretário-geral do partido, Miguel Monteiros, são os oradores.

“A formação política é fundamental para a essência daquilo que é a JpD”, declarou Euclides Silva, precisando que o propósito da Universidade de Verão é formar os jovens para terem espírito crítico, ideias próprias e serem capazes de defenderem as suas convicções.

A sessão inaugural da I Universidade de Verão do MpD será presidida pela vice-presidente do partido e ministra da Justiça, Janine Lélis, no dia 12 de Outubro, e o encerramento, a 14 do corrente mês, será presidido pelo presidente do MpD e primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, na presença do presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago, Manuel de Pina.

DR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos