Movimento S.O.S Cuba em Cabo Verde promove manifestação pacífica exigindo respeito pelos direitos humanos

Cidade da Praia, 14 Nov (Inforpress) – O movimento internacional S.O.S Cuba, em Cabo Verde, promove esta segunda-feira, 15, na Praia, uma manifestação pacífica para pedir ao Governo cubano o respeito pelos direitos humanos, liberdade de expressão e democratização do país.

Em declarações à Inforpress, Yanira Monteiro, membro do movimento, explicou que o manifesto conta também com o apoio de um grupo de cabo-verdianos e irá acontecer ainda em mais de 120 cidades, em todo o mundo, em apoio a uma manifestação nacional que irá decorrer em Cuba.

“Esta manifestação pacifica é para pedir e exigir ao Governo e à ditadura cubana o respeito pelos direitos humanos, pela liberdade de expressão, de manifestação e a liberdade de todos os presos políticos, sendo que actualmente mais de 1020 presos políticos são reconhecidos pelas organizações internacionais”, mencionou.

Segundo disse, a manifestação nacional em Cuba está a ser promovida pela Plataforma online Archipielago e estava prevista para acontecer a 20 deste mês, mas em resposta, o Governo cubano declarou este dia como o Dia da Defesa Nacional e começou os preparativos militares para impedir que as pessoas saem às ruas neste dia.

“A plataforma decidiu adiantar esta data para o dia 15, e mesmo assim o Governo já respondeu por escrito de que proíbe a manifestação pacifica porque nos termos da Constituição cubana todos aqueles que manifestarem contra o regime socialista está a cometer um delito grave”, avançou Yanira Monteiro, que assegurou que o povo vai sair às ruas na mesma.

Afirmou que em Cuba a repressão está no nível máximo, com ameaças, detenções e desaparecimentos de pessoas que estão à frente da manifestação.

Yanira Monteiro afirmou que muitos países e as Nações Unidas têm alertado ao Governo cubano sobre os direitos humanos, o respeito a manifestação pacífica, mas o regime continua a não respeitar, tendo treinado comunistas civis e jovens para reprimirem os manifestantes.

“Estamos muito aflitos, porque não sabemos o que vai acontecer na segunda-feira. É um apoio daqueles que vivem cá em Cabo verde e de um grupo de cabo-verdianos que estão solidários com a nossa causa”, apontou.

Por outro lado, avançou que neste momento a empresa de telecomunicações já cortou a internet a nível nacional, pelo que organizadores e opositores estão sem comunicação com o exterior há várias semanas.

A manifestação acontece às 17h00, na zona da Prainha, com uma distância de pelo menos 100 metros da embaixada de Cuba, tendo em conta a legislação de protecção de representação diplomática.

O movimento internacional S.O.S Cuba, segundo explicou Yanira Monteiro, nasceu de forma espontânea em cada país de residentes cubanos que se uniram para a criação de um único movimento.

De acordo com a activista, tem havido manifestações em países diversos como nos EUA (Washington), Canadá, Espanha (Madrid), Chile de entre vários pontos onde “existe um cubano”.

AV/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos