Movimento Eco Feminismo de Cabo Verde promove I fórum sobre “Juventude & mudanças climáticas”

Cidade da Praia, 21 Nov (Inforpress) – O papel da juventude cabo-verdiana nas discussões sobre mudanças climáticas e conservação dos recursos naturais local foi hoje objecto de um debate promovido pelo Movimento Eco Feminismo de Cabo Verde no I fórum sobre “Juventude & mudanças climáticas”.

Realizado através de videoconferência, face às restrições impostas pelo novo coronavírus, este I fórum, de acordo com a organização, enquadra-se no seu programa de advocacia e sensibilização sobre as questões ambientais, jovens e mudanças climáticas.

O painel contou com sessões de intervenção de activistas e associações/movimentos ambientais, que deram a conhecer projectos implementados ligados a áreas de ambiente, géneros e mudanças climáticas.

O engenheiro químico-biológico Erickson de Pina, da ilha de Santiago, foi um dos jovens que aproveitaram a oportunidade para fazer a apresentação da sua empresa, focada na transformação de óleo usado de cozinha em detergentes, um projecto aclarado pelo mesmo como sendo virado para  melhoria de atitudes em ecologia, reciclagem, meio ambiente e economia verde.

Clessi Klapheck, da organização, manifestou o propósito do grupo na criação de uma rede dos jovens para o clima em Cabo Verde e de um manifesto de jovens cabo-verdianos para mudanças climáticas, assim como a promoção do empreendedorismo e o turismo verde sustentável.

Pretende-se com este evento mobilizar activistas, movimentos e associações ambientais e de mudanças climáticas de diferentes ilhas nas discussões sobre mudanças climáticas, assim como a consciencialização do seu papel na participação activa desde a fase da consulta pública, elaboração e implementação das políticas climáticas de mitigação e adaptação a nível local, nacional e, consequentemente o seu impacto a nível internacional.

O fórum teve ainda por finalidade reunir jovens de todas as ilhas engajados no activismo, projectos ambientais e de conservação da natureza, de forma a promover, encorajar e reconhecer os seus esforços na conservação da biodiversidade, as suas contribuições em assegurar a segurança alimentar das famílias nas suas comunidades e na protecção da economia local durante e pós-covid-19.

Fundado em 2019 na Cidade da Praia, o Movimento Eco Feminismo de Cabo Verde define-se como uma associação civil de direito privado, de carácter sócio ambiental, ecológico e feminista sem fins lucrativos com a missão de engajar a sociedade civil das ilhas na luta pela justiça social e climática no contexto das alterações climáticas em Cabo Verde.

SR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos