Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mosteiros: Memorando entre  câmara e Embaixada dos EUA vai reforçar a relação entre as duas instituições

São Filipe, 20 Set (Inforpress) – A assinatura do memorando de entendimento entre a câmara dos Mosteiros e a Embaixada dos EUA permite reforçar a relação entre as duas instituições para garantir a continuidade do funcionamento do núcleo de informação e pesquisa “American Corner”.

No quadro da sua primeira visita oficial à ilha do Fogo, o novo embaixador dos Estados Unidos da América (EUA), Jeff Daigle, celebrou ontem com o presidente da autarquia dos Mosteiros um memorando de entendimento para funcionamento da “American Corner”, tendo no final disponibilizado vários exemplares de livros e outros materiais em língua portuguesa e inglesa.

Na ocasião, o diplomata norte-americano agradeceu a câmara pelo seu compromisso com o centro, que vem desde o ano de 2008, altura em que foi disponibilizado o espaço para o seu funcionamento, sublinhando que o “American Corner”, enquadra-se no principio essencial da democracia e o direito de cidadão  a livre acesso a informação.

“Este espaço tem grande importância na formação das pessoas, sobretudo no aprendizado de  inglês como língua universal”, disse Jeff Daigle, indicando que permite o desenvolvimento do turismo, além de outras actividades como a utilização da Internet, exibição de filmes, leitura, lançamento de livros e trocas de ideias.

Para o diplomata constitui um “grande prazer” estar nos Mosteiros na sua primeira visita a ilha, que acontece no momento em que os Estados Unidos e Cabo Verde celebram 200 anos de relações de amizade, com destaque para os “fortes laços” culturais e históricos que existem entre os dois povos.

Nos Mosteiros, além da assinatura do memorando, o diplomata manteve um encontro com cidadãos americanos e com o presidente da câmara, visitou alguns projectos da autarquia e outros construídos através do programa MCA, financiado pelos EUA, a adega Sodade e o projecto de ligação de água domiciliaria a 30 famílias da zona sul do município, executado pela associação Fogo solidário (Afosol) e que contou com financiamento da Embaixada.

O mesmo disse que o projecto é pequeno em volume financeiro, mas com um “forte impacto” na vida das famílias beneficiarias e além da contribuição da embaixada contou com parceria de outras instituições e das famílias beneficiarias.

No final deste mês, Jeff Daigle vai participar no fórum de investimento a acontecer em Boston e o objectivo, segundo o mesmo, é atrair população, recursos e investimentos para Cabo Verde, já que existe uma expressiva diáspora que constitui principal alvo a ser sensibilizada para investir mais em Cabo Verde.

Segundo a mesma fonte, existem oportunidades de investimentos, criação de empregos e é essa a historia que leva para o fórum e que constitui motivo para encorajar para investirem em Cabo Verde.

O presidente da câmara dos Mosteiros, Carlos Fernandinho Teixeira, disse, por seu lado, que o memorando de entendimento assinado visa a prestação, pelo centro, de um serviço de qualidade a todos quanto residem nos Mosteiros e que durante algum tempo estiveram nos EUA.

“Temos muitos americanos residentes nos Mosteiros que procuram este cantinho da América para  saber da documentação sobre o registo de filhos, óbitos e outras acções concretas”, disse Carlos Fernandinho, observando que outro aspecto fundamental está relacionado com a concessão de livros, alguns materiais didácticos para estudantes e criar condições para formação dos estudantes.

Este protocolo, defendeu, vai ser cumprido na integra pela autarquia, observado que se deve aumentar a expectativa dos jovens com materiais audiovisuais, formação em inglês e na criação de condições a pré-emigrantes sobre as leis americanas para poderem entrar em condições, evitando todo o fenómeno de deportação que segundo o mesmo é um mal que existe no concelho e em Cabo Verde.

“É fundamental que aqueles que pretendem emigrar para EUA tenha noções do que vão encontrar, nomeadamente a realidade e as leis par poderem inserir correctamente na comunidade, contribuindo para o desenvolvimento dos EUA e do seu concelho de origem”, disse.

JR/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos