Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Morabi trabalha problemática da gravidez na adolescência na localidade de Jamaica

Cidade da Praia, 02 Jun (Inforpress) – A Associação Cabo-verdiana de Auto-Promoção da Mulher (Morabi) trabalha a problemática da gravidez na adolescência na comunidade de Jamaica, com um projecto prático através da arte para a resolução de um “problema  de consciencialização” nesse bairro da capital.

A presidente da Morabai avançou a Inforpress que este projecto nasceu em 2017 e permite educar  as crianças e adolescentes para a problemática da gravidez precoce, ao mesmo tempo que cria condições para encontrarem alternativas em trabalhos práticos, através de costuras e peças de teatros, que envolve crianças/adolescentes de idade compreendidas entre 10 e 18 anos.

Evelyne Figueiredo disse que o “Projecto Vida Saudável” envolve mais de 50 jovens, alguns já mães e que esta estratégia passa por ter um efeito multiplicador, para que a localidade consiga ter pessoas conscientes na construção de um projecto de vida ao olongo dos tempos.

Para o efeito, a Morabi priorizou a edição de uma caderneta dos adolescentes especificamente vocacionado para integrantes deste bairro, inclusive com figuras das crianças   (meninos e meninas) do bairro, de forma a interiorizarem com informações sobre a gravidez precoce e sexualidade, esperançada que “o resultado leva tempo”, mas que já tem passos seguros.

Financiado pelo Ministério da Família e Inclusão Social, através de um concurso lançado em 2017 às associações da sociedade civil, o projecto “Vida Saudável” foi apresentado publicamente esta tarde no Palácio da Cultura Ildo Lobo, no Plató, através de uma exposição de “costura Criativa” à base de rendas, bordados e vestuários reciclados no bairro de Jamaica e de uma cena teatral sobre a gravidez na adolescência.

Eveline Figueiredo disse que para o efeito a Morabi contou com a pronta colaboração de moradores através da cedência de espaços que serviu como oficina de corte, renda e bordados,   e que proporcionou uma “costomização” à base de confecção de materiais diversos como bolsas, bolsos, carteiras, de entre outras variedades.

Figueiredo fez questão de ressalvar que a Morabi tem estado a apostar em projectos idênticos em localidades outros, como Simão Ribeiro, para debater temas como a educação dos rapazes e meninas, por considerar muito importante estabelecer conversas abertas em várias comunidades com grupos pequenos, de forma a alcançar resultados concretos, sobretudo no campo de inclusão social.

O evento contou com a participação da ministra da Família e Inclusão Social, Maritza Rosabel, que enalteceu a qualidade deste projecto,

SR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos