Montante da dívida da TACV para com a ASA ultrapassa um milhão de contos – revela PCA da ASA

Cidade da Praia, 10 Abr (Inforpress) – O montante da dívida da transportadora aérea cabo-verdiana (TACV) à Empresa Nacional de Aeroportos e Segurança Aérea (ASA), ultrapassa um milhão de contos, confirmou hoje, na Cidade da Praia, o presidente da instituição, Renato Lima.

“A parte substancial de mais de um milhão de contos é a dívida da TACV para com a CV Handling, que agora é a filial da ASA. A outra fracção é a dívida da TACV para com a ASA”, explicou Renato Lima na audiência parlamentar solicitada pela Comissão Especializada de Finanças e Orçamento da Assembleia Nacional, visando esclarecer sobre a situação da companhia aérea nacional.

Durante a audiência, o PCA da ASA informou aos deputados que a TACV não tem cumprido as suas obrigações em termos de pagamento das dívidas, e explicou que à luz do último acordo que foi estabelecido entre as duas instituições, o montante da dívida seria pago em 18 prestações.

No entanto, até este momento a companhia aérea cabo-verdiana apenas pagou uma prestação, alegando problemas da tesouraria, notou.

No final do encontro, o deputado do PAICV, Nuias Silva, manifestou a sua preocupação face à situação da TACV e disse que as informações do presidente da ASA vieram a confirmar que “a companhia continua com grandes problemas” de tesouraria.

O deputado do PAICV disse que nas próximas audiências o seu partido vai questionar e esclarecer junto dos outros intervenientes, nomeadamente o ministro das Finanças, Olavo Correia, sobre a questão da dívida e outros assuntos relacionados com a situação TACV desde Março de 2016.

“Temos que aprimorar a questão da gestão da companhia, porque a própria ASA como um dos principais financiadores da TACV não tem nenhuma informação da parte do Governo sobre qual é o futuro da transportadora aérea cabo-verdiana”, disse.

Nuias Silva lamentou o facto de a situação da TACV continuar como estava desde Março de 2016, criticando que “não houve nenhum avanço” e nem foram pagas as dívidas pendentes para com a ASA.

Por sua vez, o deputado do MpD, Paulo Veiga, disse que com as informações prestadas durante a audiência constatou-se que “a TACV é uma empresa com muitas dificuldades, mas que chegou a este ponto não por culpa do actual conselho de administração”.

Entretanto, disse que neste momento o Governo está a trabalhar para melhorar a situação da companhia aérea cabo-verdiana.

“Durante a audiência ficamos também a saber que a criação da CV Handling foi mais um movimento financeiro para saldar a dívida da TACV junto da ASA até 2014. A CV Handling foi um negócio de risco para ASA”, afirmou Paulo Veiga.

Na ocasião, o deputado do partido que sustenta o Governo informou que o seu grupo já solicitou à ASA o estudo de viabilidade realizado na altura da criação CV Handling para se perceber o porquê da tomada desta decisão.

Ainda relativamente à situação da TACV, Paulo Veiga disse que todas as pessoas sabem que os problemas da companhia aérea nacional vêm de longa data e que não seriam resolvidos agora em um ano.

JL/FP

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos