Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Missa do Galo celebrada no Vaticano com menos fiéis e em horário antecipado

Cidade do Vaticano, 24 Dez (Inforpress) – O Papa Francisco celebrou hoje a missa do Galo perante um número reduzido de fiéis e com horário antecipado para respeitar o toque de recolher devido à pandemia da covid-19, sublinhando que o Natal é um “período de renascimento”.

A cerimónia, que se costuma realizar às 21:30 locais (20:30 em Lisboa), teve de ser antecipada duas horas e meia para respeitar o toque de recolher nocturno imposto em toda a Itália.

Segundo descreve a agência espanhola EFE, o Papa Francisco esteve acompanhado pelos concelebrantes e por cerca de 150 fiéis, todos separados e com máscara.

A missa começou com o anúncio do nascimento de Jesus, através da leitura do texto antigo das Calendas, tendo seguidamente o pontífice destapado uma imagem do menino.

No seu discurso, o Papa Francisco afirmou que o Natal é um período de renovação espiritual e criticou os “Homens do nosso Tempo” que, “famintos de entretenimento, êxito e mundanidade, alimentam as suas vidas com comidas que não saciam e deixam um vazio”.

“Ávidos por possuir, lançamo-nos a tantas manjedouras de vaidade, esquecendo-nos da manjedoura de Belém. Esta manjedoura pobre em tudo, mas rica no amor, ensina-nos que o alimento da vida é deixar-se amar por Deus e amar os outros”, afirmou.

Na Praça de São Pedro, iluminada por uma Árvore de Natal, permaneceram apenas algumas patrulhas policiais, responsáveis pela segurança e pela vigilância do cumprimento das normas.

Devido à pandemia da covid-19, o Governo italiano confinou a sua população durante as vésperas e dias de festas, permitindo apenas saídas por razões de necessidade.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.731.936 mortos resultantes de mais de 78,8 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 6.413 pessoas dos 387.636 casos de infecção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direcção-geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

FAC // MCL

Lusa/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos