Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministros das Finanças do G7 preocupados e desiludidos com tarifas impostas pelos EUA

Whistler, Canadá, 02 Jun (Inforpress) – A maioria dos ministros das Finanças do G7 mostrou hoje a sua preocupação e desilusão aos Estados Unidos perante a imposição de tarifas sobre as importações de aço e alumínio à União Europeia (UE), Canadá e México.

“Os ministros das Finanças e os governadores dos bancos centrais pediram ao secretário de Estado do Tesouro de Estados Unidos, Steven Mnuchin, que informe [a Casa Branca] da sua preocupação e desilusão unânimes”, disse o ministro de Finanças do Canadá, Bill Morneau, numa conferência de imprensa.

A decisão recente do presidente dos EUA, Donald Trump, de impor taxas sobre as importações de aço e alumínio marcou a reunião dos ministros das Finanças do G7 (grupo de que fazem parte a Alemanha, o Canadá, França, Itália, o Japão, os EUA e o Reino Unido), que hoje terminou em Whistler, no Canadá.

Bill Morneau considerou que a decisão norte-americana “não é construtiva” e pressupõe um “desafio” para os outros países, que põe em perigo a colaboração comercial.

As tarifas impostas aos parceiros comerciais dos EUA – UE, Canadá e México – são o passo mais agressivo dado até agora por Trump na sua posição face ao sistema global de livre comércio, já que é o primeiro direccionado directamente contra alguns de seus aliados mais próximos.

Numa conferência de imprensa paralela, o ministro francês de Economia, Bruno Le Maire, exigiu a Trump que dê “sinais positivos” imediatos aos seus parceiros do G7 para evitar uma escalada na guerra comercial, que já fizeram a UE e o Canadá denunciarem os EUA à Organização Mundial do Comércio (OMC).

O objectivo do encontro era que os ministros das Finanças e os governadores dos bancos centrais esboçassem acordos antes da reunião do G7, que se realiza entre 08 e 09 de junho na região de Charlevoix, no Canadá.

Esta nova tensão comercial será um dos principais tópicos da reunião do G7, onde o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se reunirá com o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, Emmanuel Macron.

Na sexta-feira entraram em vigor as taxas às importações de aço (de 25%) e alumínio (de 10%) da União Europeia (UE), Canadá e México, uma decisão que fez disparar as tensões comerciais e gerou palavras de condenação e represálias.

A UE e o Canadá denunciaram a decisão dos Estados Unidos junto da OMC, organismo que se tornou o árbitro deste diferendo, já caracterizado como uma guerra comercial.

O governo canadiano, liderado por Justin Trudeau, ameaçou impor direitos alfandegários à entrada de produtos norte-americanos por uma soma semelhante de 16,6 mil milhões de dólares canadianos (11 mil milhões de euros).

O ministro das Finanças do Canadá disse esperar que a ameaça de retaliação contra os EUA convença a administração Trump a recuar nestas novas tarifas.

Inforpress/Lusa

Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos