Ministro Paulo Veiga elogia Projecto Filhos do Mar na preservação das espécies marinhas

Cidade da Praia, 15 Dez (Inforpress) –  O ministro da Economia Marítima, Paulo Veiga, destacou hoje a importância do Projecto Filhos do Mar na “sensibilização e envolvência” da sociedade civil na conservação das espécies marinhas em Cabo Verde.

O governante falava à imprensa após visitar a Galeria de Arte Tutu Sousa, na Cidade da Praia para se inteirar do andamento do Projecto Filhos do Mar, bem como apelar à população para a importância da preservação dos mares e seus recursos.

Conforme elucidou o ministro, o projecto consta da segunda fase de um outro denominado Projecto Rua D’Arte Terra Branca, uma parceria do Ministério da Economia Marítima através do seu departamento de conservação dos oceanos, com a Galeria de Arte Tutu Sousa.

“Quando o departamento soube do Projecto Filhos do Mar quisemos ser parceiros nesta segunda fase, após as conversações com a galeria decidimos que seria importante financiar todo material para se fazer a pintura referente aos temas do mar e espécies marinhas endémicas de Cabo Verde”, sustentou Paulo Veiga.

Paulo Veiga regozijou-se com o trabalho feito pelo artista nas redondezas da Terra Branca, no âmbito do Projecto Rua D’Arte Terra Branca, tendo, durante a visita, revelado “satisfação e surpresa” com o andamento do projecto.

“Sinceramente fiquei muito surpreso e dou os parabéns ao artista Tutu, que tem feito um trabalho magnífico”, explanou o ministro, tendo mencionado também o trabalho artístico realizado na rua pedonal de Terra Branca.

Segundo o ministro, a arte auxilia na “sensibilização” e no engajamento da sociedade civil na conservação das espécies marinhas, que, ao seu ver, é um processo individual em que “cada um deve fazer a sua parte”.

Frisou ainda que devido ao contexto da pandemia os artistas não têm feito exposições e participados em eventos como era habitual, ressalvando que o Projecto Filhos do Mar tem ajudado os jovens artistas que estão a trabalhar com Tutu Sousa.

“Estando numa pandemia e sabemos que os artistas vivem de exposições e de eventos e não tem sido possível fazer da forma habitual, pensamos que é um contributo aos jovens artistas que estão a trabalhar com Tutu, é também uma oportunidade de terem alguma receita e poder embelezar a nossa cidade e a Terra Branca”, concluiu.

O artista Tuto Sousa disse, por seu lado, que na sequência da primeira fase do Projecto Rua D’Arte Terra Branca, pensou-se durante a pandemia realizar acções relacionadas com o mar, já que, sublinhou, todos queriam estar no mar, mas ninguém pensava em conservação do ambiente marinho e na promoção das espécies marinhas do País.

“E como tenho o mar como uma das fontes de inspiração, para além da música e da mulher, resolvi fazer desta vez um trabalho com uma temática específica na rua”, sublinhou, explicando que “Filhos do Mar” surgiu porque “todos somos filhos do mar e todos amam o mar”.

TC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos