Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministro do Turismo destaca evento “Sal a Gosto” como forma de fidelizar os clientes do turismo cabo-verdiano

Cidade da Praia, 25 Jun (Inforpress) – O ministro do Turismo e Transportes disse hoje que o evento “Sal a Gosto”, que acontece em 2022, na ilha do Sal, será uma forma de fidelizar os clientes do turismo cabo-verdiano, e projectar a cultura do País ao mundo.

Carlos Santos fez esta intervenção à imprensa, à margem da apresentação do projecto “Sal a Gosto”, organizado pela ONON, consórcio das empresas Limão Advertising, Sigui Sabura e Marius Produções.

“Sal a Gosto” é uma iniciativa que visa promover a gastronomia do arquipélago, orçado em dois milhões de euros, e que terá uma duração de cinco anos, sendo organizada anualmente.

Na ocasião, realçou o facto de a iniciativa ser do conjunto de empresas nacionais, o que demonstra que o projecto enaltece aquilo que Cabo Verde tem e que se pode fazer no turismo.

“Este projecto cruza aquilo que é a visão do Governo no turismo e que assenta na possibilidade de valorizar os recursos nacionais, os recursos humanos, patrimoniais, como também culturais e a gastronomia faz parte da nossa cultura.

No seu entender, poder diversificar o produto nacional está enquadrado no programa operacional do turismo 2121-2026, que tem em vista poder diferenciar, para poder cada vez mais fidelizar a clientela.

“Um destino como Cabo Verde para querer se afirmar lá fora e poder ter competitividade terá que apostar naquilo que tem e este é o caminho”, frisou.
J

á o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Fomento Empresarial e Economia Digital, Olavo Correia, manifestou, em nome do Governo, o interesse e engajamento para contribuir e fazer deste projecto um sucesso em Cabo Verde e na escala do mundo.

“É importante promovermos a nossa culinária enquanto algo autêntico da nossa nação”, salientou.
Por isso, avançou que os promotores têm um ano para se prepararem e que se todos se engajarem é mais um contributo para a desejada retoma, não só do turismo, mas também da economia.

HR/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos