Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministro diz que Governo é “empreendedor e facilitador” do financiamento empresarial

 

Assomada, 13 Nov (Inforpress) – O ministro da Presidência do Conselho de Ministros disse hoje que o Governo é “empreendedor e facilitador” do financiamento empresarial, tendo através da Pró-Empresa disponibilizado cinco milhões de contos para ajudar na promoção empresarial.

Fernando Elísio Freire, que falava em representação do Governo, fez estas declarações hoje em Assomada, Santa Catarina, durante o seu discurso no acto de abertura oficial da 8ª Semana Global de Empreendedorismo (GEW), que decorre até o dia 17, na presença dos presidentes da AJEC, Pró-Empresa e IEFP.

“O Governo tem um sonho de um Cabo Verde desenvolvido, inclusivo, de democracia plena e com cidadãos cosmopolitas e felizes, mas este sonho exige um Governo empreendedor e este Executivo é um empreendedor”, lançou o governante no seu discurso.

O ministro ajuntou que o Governo é empreendedor, tendo em conta que está a trabalhar para “superar as dificuldades”, e está a “agir no sentido de criar todas as condições” para que aqueles que tenham capacidade empresarial e espírito empreendedor possam ter sucesso e ajudá-los a cumprir o “sonho”.

Segundo o também ministro dos Assuntos Parlamentares, o Governo está a “fazer de tudo para cumprir o sonho”, e, nesse sentido, está a facilitar o financiamento em cinco milhões de contos através dos bancos privados e comercias, já passou um conjunto de competências para as câmaras de comércios, para as instituições de micro finanças, incubadoras e associações empresarias.

É que, segundo o ministro, tudo o que têm feito é no sentido de “facilitar, de aproximar e agilizar” os processos de tomada de decisão, informando que actualmente deixou-se de se ter “créditos políticos” e passou-se a ter “créditos empresariais”, ou seja, são os bancos a gerir o dinheiro e não o Estado.

A consolidação de incentivos fiscais a estágios profissionais, nas microempresas, no acesso a micro créditos e a promoção de empreendedorismo forma apontadas como outras “acções facilitadoras” levadas desencadeadas pelo Estado.

Fernando Elísio Freire, que pediu “acções concretas” sobre a GWV, afirmou que o Instituto de Apoio e Promoção Empresarial (Pró-Empresa) e Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) estão a trabalhar para que se ter “empresários de sucessos”.

Por sua vez o presidente da Associação dos Empresários de Cabo verde (AJEC), Paulo Cabral disse que esta organização “não quer um empreendedorismo de sobrevivência”, mas sim de  “inovação e de ambição”.

Por outro lado, pediu mudanças nas políticas do sector, tendo, igualmente, apelado aos empreendedores para deixarem as palavras e passarem à acção.

A GEW é um evento mundial que acontece em 154 países e celebra as inovações geradores de emprego que impulsionam o crescimento económico, proporcionando o bem-estar para as suas populações, no arquipélago é celebrado sob lema “Resart-Renovando Sonhos” , em que se prevê a adesão de mais de 20 mil participantes e realização de mais de 150 actividades em todas ilhas do país.

Este será o 8º ano que o arquipélago se associa a este movimento, sendo a 5ª edição a ser realizada após a sua institucionalização em 2012 pelo Governo, como a Semana Nacional do Empreendedorismo de Cabo Verde, organizado pela AJEC, em parceria com a Pró-Empresa, o IEFP, e o Governo de Cabo Verde, através do gabinete do primeiro-ministro.

FM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos