Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministro das Finanças espera continuar a contar com o apoio da comunidade internacional para atingir as metas do desenvolvimento sustentável (c/áudio)

Cidade da Praia, 12 Jul (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, disse hoje que espera continuar a contar com o apoio da comunidade internacional para atingir as metas do desenvolvimento sustentável, eliminando a pobreza e as desigualdades sociais.

Olavo Correia fez esta declaração à margem da apresentação do Relatório Nacional Voluntário (VNR2021) de Cabo Verde, durante o Fórum de Alto Nível sobre o Desenvolvimento Sustentável.

Na ocasião, o governante explicou que o evento é um exercício muito importante, no sentido de Cabo Verde fazer uma auto-avaliação voluntária, sobretudo num quadro de conjunto de países que, embora estando em fases diferentes de desenvolvimento, utilizam a mesma metodologia para atingirem o desenvolvimento sustentável.

“Nós temos feito um progresso extraordinário em matéria de criação de condições para fazer de Cabo Verde um país desenvolvido e atingir a meta de desenvolvimento sustentável”, assinalou.

No entanto, afiançou, há desafios ainda crescentes que resultam não só do processo de desenvolvimento, mas também daqueles impostos pelas consequências da pandemia da covid-19, nomeadamente, a nível da pobreza.

De acordo com Olavo Correia, o País vive hoje uma recessão económica muito forte, crise social, orçamental e financeira, apontando progressos por forma a que esses valores e resultados obtidos até agora, não sejam postos em causa pelas consequências da pandemia.

“Os progressos conseguidos por Cabo Verde em parceria com todos os actores internacionais, que são nossos parceiros e que permitiram a Cabo Verde reduzir a pobreza, promover a inclusão social e de género, não podem ser postos em causa pela pandemia”, reiterou.

Neste sentido, realçou, para que isso realmente não aconteça é fundamental que Cabo Verde continue a contar com o forte apoio da comunidade internacional em matéria da dívida externa, na criação de condições para continuar a financiar a economia, nos domínios que tem a ver com o saneamento básico, a habitação, a promoção da inclusão social, ou seja, nos mais diversos domínios.

“Este exercício dá a conhecer o País ao mundo onde estamos, garantir que todos os cabo-verdianos estejam mobilizados para dar o salto e solicitar o apoio da comunidade internacional para que Cabo Verde continue na senda do desenvolvimento sustentável”, sustentou.

A nível da pobreza no arquipélago, Olavo Correia, que é também ministro do Fomento Empresarial e da Economia Digital, sublinhou a redução que se verificou em que o País passou de 23,7 por cento (%) em 2015 para 13,1% em 2020.

No entanto, lembrou que com a pandemia o quadro alterou-se e, por isso, é necessário refazer os dados e ver qual foi o seu impacto neste aspecto.

“Estamos a trabalhar para eliminar a pobreza absoluta e permitir que todos tenham uma vida com dignidade e para isso é fundamental termos uma economia que cresça, crie emprego e gere rendimentos.  

O Governo respondeu aos desafios do país com um Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) 2017 – 2021, que apela a uma transformação estrutural na perspectiva de um desenvolvimento sustentável a longo prazo e resiliência.

O Relatório do PEDS 2017-2020 foi a principal fonte do Relatório Voluntário Nacional (VNR) 2021.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos