Ministro das Finanças aponta aposta na qualificação dos recursos humanos como maior desafio de Cabo Verde

Cidade da Praia 17 Nov (Inforpress) – O ministro das Finanças e Fomento Empresarial, Olavo Correia, apontou hoje a aposta na qualificação dos recursos humanos como o maior desafio de Cabo Verde, que poderá ser ultrapassado se houver forte aposta no ensino superior.

Olavo Correia fez estas afirmações quando presidia à cerimónia de apresentação e socialização da proposta de Orçamento Geral do Estado para 2023 à comunidade académica da Universidade de Cabo Verde (UNICV), realizada esta quinta-feira.

O governante salientou que Cabo Verde tem um grande potencial humano que se tornou numa nação, frisando que se mesmo sendo um País pequeno e com parcos recursos, mas que se tiver a sua estratégia ancorada na qualificação dos seus recursos humanos pode acreditar num futuro melhor.

No entanto, reconheceu que para isso é preciso ter excelência na qualidade do ensino desde o pré-escolar até ao ensino superior, lembrando que não há investimento mais reprodutivo do que o investimento na qualificação dos recursos humanos.

“Até 2026 vamos ter 25% dos jovens de 18 a 24 anos a frequentar o ensino superior, e a nossa visão é fazer de Cabo Verde um País prestador de serviços internacionais na economia digital, na saúde, no sistema financeiro, na indústria, no comércio, na agricultura inteligente e nos demais sectores”, asseverou que não há desenvolvimento sem aposta na ciência e investigação e na inovação.

“Precisamos de jovens altamente formados no sector da economia digital, na transição energética, na saúde, nos serviços financeiros e para serem jovens altamente qualificados não podem ser jovens apenas com formação profissional ensino básico ou secundário, a universidade é uma questão central para um pequeno País que quer ser um País central no mundo”, frisou.

Reconheceu, no entanto, que há necessidade de serem desenvolvidas algumas ferramentas para que o ensino superior possa estar à altura e, sobretudo, disponível para os jovens que reúnem os requisitos.

“O mais dramático que possa existir num País é não ter jovens com potencial para inovarem nos mais diversos domínios de actividade económica porque estão fora do sistema de ensino”, acrescentou, afiançando que o Governo continuará a trabalhar na criação de condições para que a Uni-CV tenha mais sustentabilidade financeira para que a mesma possa alcançar os objectivos delineados.

Adiantou, por outro lado, que nas próximas semanas será assinado um contrato programa entre o Governo e a Uni-CV que visa criar as condições do ponto de vista de previsibilidade em matéria de contributo que a referida universidade tem dado.

Defendeu, entretanto, a necessidade de haver uma maior articulação entre o Governo e a Uni-CV, tendo considerado o financiamento do ensino superior como o grande desafio a ser ultrapassado.

CM/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos