Ministro da Saúde afirma que confiança entre população e Governo contribuiu para alto nível de vacinação

Cidade da Praia, 28 Abr (Inforpress) – O ministro da Saúde e da Segurança Social, Arlindo do Rosário, afirmou hoje que a confiança entre a população e o Governo, particularmente no sector da Saúde, contribuiu para o alto nível de vacinação em Cabo Verde.

Arlindo do Rosário fez estas considerações hoje na sua intervenção no evento de alto nível para o reforço na distribuição das vacinas, organizado pelo Banco Mundial, em colaboração com a Aliança para a distribuição de vacinas covid-19 (incluindo UNICEF, OMS e GAVI), em modo virtual.

Participaram do encontro os ministros da Saúde e das Finanças de países em desenvolvimento, líderes de agências globais, regionais e bilaterais envolvidas no esforço de vacinação contra a covid-19, com o objectivo de avançar na meta de materializar vacinas em vacinações e trazer mais clareza sobre as acções necessárias, para o efeito.

Segundo disse, Cabo Verde, à semelhança de muitos países em desenvolvimento ou em desenvolvimento médio, enfrentou o impacto sanitário económico e social da pandemia da covid-19 e está no grupo dos 15 países do mundo mais afectados pela crise económica e social provocada pela pandemia.

“A crise atingiu duramente as finanças públicas, das empresas e das pessoas, mas o Governo respondeu prontamente, durante dois anos tivemos de colocar prioridades, por exemplo, na promoção do emprego e rendimento das famílias”, declarou.

Destacou as altas taxas de vacinação contra a covid-19 em Cabo Verde, a disponibilização de vacinas e consumíveis aos quatro cantos do arquipélago, a segurança assim como a cobertura integrada a todos os municípios de Cabo Verde.

Indicou que os dados actualizados apontam para 97,7 por cento (%) de adultos vacinados com uma dose, 84,4% de adultos completamente vacinados, 85% de adolescentes dos 12 aos 17 anos com a primeira dose, e 70 % de adolescentes completamente vacinados, para além de Cabo Verde ter já 20% de adultos vacinados com a dose de reforço.

“Reconhecemos vários factores importantes que contribuíram para o sucesso da campanha de vacinação, sendo o primeiro, um “forte” sistema de saúde disponível a uma população dispersa por nove ilhas”, asseverou o ministro, realçando que ao longo das últimas décadas o Governo tem trabalhado arduamente para garantir que todos os cabo-verdianos vivam a menos de 30 minutos de um centro de saúde.

“Foi dada prioridade à vacinação dos profissionais da saúde e daqueles com maior risco de hospitalização e morte, ficou clara a existência de altos níveis de confiança entre a população e o Governo, particularmente no sector da saúde, e isso contribuiu para altos níveis de vacinação e alto cumprimento de medidas da saúde pública e sociais como foram incentivadas e implementadas” acrescentou.

Reconheceu ainda, a disponibilização de vacinas enviadas por nove países, assim como o apoio do Banco Mundial para o financiamento de 15 milhões de dólares que permitiu reforçar em termos de recursos humanos e adquirir equipamentos médico-hospitalares, de laboratório e uma “boa” campanha de sensibilização e mobilização comunitária para a vacinação.

“Hoje podemos dizer que tivemos sucesso na gestão da pandemia, há onze semanas que o País se encontra na zona de risco verde, com uma taxa de incidência de sete casos para cada 100 mil habitantes, sem doentes internados, um ritmo de transmissão inferior a 1,0 % e uma taxa de positividade de 0,9 %”, adiantou.

Com esses dados, assegurou que Cabo Verde está empenhado em proteger a sua população contra a covid-19, mesmo que a doença passe de uma epidemia para o contexto endémico, com o compromisso de continuar a fornecer acessos universal e gratuito a vacinas para as populações elegíveis.

ET/HF

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos