Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministro da Energia participa na II reunião dos ministros da CEDEAO responsáveis pelo hidrocarboneto

Cidade da Praia, 06 Fev (Inforpress) – O ministro da Indústria Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, participa hoje e sexta-feira em Ouagadougou, Burkina Faso, na II Reunião conjunta dos ministros responsáveis pelos hidrocarbonetos e os responsáveis pelo Meio Ambiente dos países da África Ocidental.

O encontro tem como principal objectivo aprovar as orientações estratégicas para harmonização das especificações dos produtos petrolíferos e limites de emissão dos veículos na região da CEDEAO, tendo como preocupação a melhoria da qualidade do ar e preservação da saúde pública e também promover o desenvolvimento de um mercado energético intra-regional.

Segundo informações publicadas no ‘site’ da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), durante esse encontro os participantes vão examinar os resultados do estudo sobre a harmonização das especificações de combustível e dos limites de emissão de veículos na região da Comunidade.

“A demanda de combustível na região cresce rapidamente há vários anos e atingiu quase 28 milhões de toneladas em 2018. Apesar da existência de oito refinarias na região com capacidade total maior que a demanda actual, a região utiliza uma importação maciça de combustíveis, que responde por quase 75% do volume total consumido”, refere o estudo citado no ‘site’.

Esta situação, acrescenta a mesma fonte, expõe a região a choques exógenos do mercado internacional e não garante a segurança energética na África Ocidental.

Além disso, o estudo aponta que o combustível usado na região ainda contém níveis excessivamente altos de enxofre em comparação com os padrões internacionalmente aceites em todo o mundo.

“A combustão desse combustível causa emissões poluentes que são prejudiciais à saúde das populações e acelera a degradação do meio ambiente”, acrescenta o documento.

O estudo foi realizado em conjunto pelo Departamento de Energia e Minas da CEDEAO e pelo Departamento de Agricultura, Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Comissão da CEDEAO, com o apoio de parceiros técnicos incluindo a Associação de Refinadores Africanos (ARA), a Organização Africana de Produtores de Petróleo (APPO) e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

Nesta sexta-feira os ministros responsáveis pelo Hidrocarbonetos e Meio Ambiente vão reunir separadamente para considerar vários outros documentos específicos de política e estratégia desenvolvidos pela CEDEAO nos sectores de hidrocarbonetos e meio ambiente.

No que diz respeito aos hidrocarbonetos, a II reunião dos Ministros encarregados deste sector permitirá analisar os resultados do estudo com vistas ao desenvolvimento da estratégia regional da CEDEAO para a popularização do Gás de Petróleo Liquefeito (GPL) como energia de cozinha doméstica.

Já os ministros responsáveis pelo meio Ambiente terão em cima da mesa o projecto de Plano de Acção Ambiental da CEDEAO para 2019-2025 e o projecto para o estabelecimento do mecanismo de coordenação regional para a gestão de produtos químicos e resíduos perigosos.

MJB/CP

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos