Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministro da Educação diz que universidades devem estar focadas dentro das suas áreas de referência (c/áudio)

Cidade da Praia, 14 Set (Inforpress) – O ministro da Educação considerou hoje que as universidades devem estar “mais focalizadas e concentradas” dentro da sua área de referência e seguir aquilo que são as orientações do Governo em matéria de planificação da formação superior.

Amadeu Cruz fez estas declarações à imprensa depois de receber uma delegação da Universidade Lusófona de Cabo Verde em que, de entre outros pontos, discutiu-se “alguns aspectos importantes” ligados à sustentabilidade científica e económica das universidades.

O Governo, continuou o ministro, estará “brevemente” a inaugurar o plano indicativo de formação superior para poder orientar as universidades, no sentido de se evitar, por um lado, a proliferação de instituições do Ensino Superior, mas também, por outro, para ter cada universidade focalizada dentro das áreas de especialidade de cada uma e evitar que haja “concorrência enorme” entre as mesmas.

“Para evitar que haja delapidação das condições da viabilidade das universidades, e, por isso, entendemos que o sistema deve ir no sentido de especialização das universidades. Cada universidade, dentro do seu ramo científico”, reforçou.

Amadeu Cruz acrescentou ainda que a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) deve seguir uma “linha estratégica bem orientada” pelo Governo e que a Universidade Técnica do Atlântico (UTA), que é outra universidade pública, deve seguir “à risca” as orientações do Governo, nomeadamente à expansão do ensino às ilhas de Santo Antão e do Sal.

“Também as universidades privadas, que são mais independentes do Governo, têm que seguir, se quiserem ter o senso de viabilidade e de sustentabilidade, as indicações não só constantes do programa do Governo, mas também as recomendações emanadas pela Agência Reguladora do Ensino Superior (ARES), que vai desencadear o processo de avaliação institucional das universidades a partir de Janeiro do próximo ano”, concretizou o governante.

Amadeu Cruz salientou ainda que todas as universidades estarão sujeitas a avaliação institucional, por um lado, e, depois, avaliação científica.

“Esperamos que haja condições para melhorarmos a sustentabilidade das universidades”, finalizou.

GSF/AA

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos