Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministro da Economia considera “irresponsáveis” as declarações do presidente do Sindicato dos Pilotos

 

Cidade da Praia, 13 Abr (Inforpress) – O ministro da Economia e Emprego, José Gonçalves, que tem a tutela dos Transportes, disse hoje que as afirmações do presidente do Sindicato dos Pilotos sobre perigos de acidente de aviação em Cabo Verde foram “infelizes e irresponsáveis”.

Em conversa com os jornalistas à margem da cerimónia de posse dos novos directores do seus ministério, José Gonçalves, disse que a TACV não é qualquer empresa, já que é uma instituição na qual as pessoas confiam as suas vidas e que depende dos fornecedores para prestar serviços.

“A TACV é uma companhia certificada, registada para voar para os países mais exigentes como EUA e a própria autoridade aeronáutica e a empresa já desmentiram que que não é caso e a própria pessoa que teria dito isso também reafirmou em conferência de imprensa que afinal não há esse risco, dando o dito pelo não dito”, disse o governante.

O ministro da Economia afiançou também que ao contrário daquilo que foi dito pelo presidente do Sindicato dos Pilotos, o Governo e o conselho de administração (CA) da Transportadora Aérea Cabo-verdiana (TACV) estão a trabalhar em “completa sintonia”.

“Há matéria que são questão internas e o Governo não interfere. A TACV está a passar por um período de transição da sua reestruturação acelerada para a privatização. Há muitas matérias que compete ao Governo e nó estamos em sintonia com o conselho de administração da empresa e não há divergências”, garantiu.

“O Governo traça as linhas estratégicas e nós concertamos regularmente com o CA no sentido de facultar todos os dados e as informações para poder cumprir com essa estratégia. Portanto não há divergência. Estamos à procura de soluções estruturantes para a TACV”, acrescentou o ministro.

Por outro lado, José Gonçalves negou que o actual PCA seja delegado dos TACV no Brasil e afirmou que assim como o administrador para área operacional, é também quadro da empresa.

“Não são pessoas que vieram de fora, são quadros da empresa que foram chamados porque conheciam bem a empresa para trabalhar e estão enquadrados dentro daquilo que é a norma da política empresarial e são pessoas a prestar serviços de forma abnegada e a fazer o seu melhor”, sublinhou o governante.

Na terça-feira, 11, em sede da comissão especializada de Finanças e Orçamento o presidente do Sindicatos dos Pilotos, Ricardo Abreu, alertou para perigos de acidentes de aviação em Cabo Verde, sublinhando que se não for mudada a forma de fazer aviação civil em Cabo Verde, o país voltará a ter outros acidentes com perdas de vida.

“Porque, infelizmente, a única importância que se dá é o avião sair. Desde que avião saia não se importa como é que saiu. E continuamos hoje com o mesmo estilo na aviação. Vai constar na acta, não é? Então vai ficar gravado o que vou dizer agora. Se não mudarmos de uma forma séria a forma de fazer aviação, a forma de agirmos na sociedade, vamos voltar a ter acidentes em Cabo Verde, vamos voltar a perder vidas”, afirmou.

MJB/ZS

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos