Ministro da Economia considera “irresponsáveis” as declarações do presidente do Sindicato dos Pilotos

 

Cidade da Praia, 13 Abr (Inforpress) – O ministro da Economia e Emprego, José Gonçalves, que tem a tutela dos Transportes, disse hoje que as afirmações do presidente do Sindicato dos Pilotos sobre perigos de acidente de aviação em Cabo Verde foram “infelizes e irresponsáveis”.

Em conversa com os jornalistas à margem da cerimónia de posse dos novos directores do seus ministério, José Gonçalves, disse que a TACV não é qualquer empresa, já que é uma instituição na qual as pessoas confiam as suas vidas e que depende dos fornecedores para prestar serviços.

“A TACV é uma companhia certificada, registada para voar para os países mais exigentes como EUA e a própria autoridade aeronáutica e a empresa já desmentiram que que não é caso e a própria pessoa que teria dito isso também reafirmou em conferência de imprensa que afinal não há esse risco, dando o dito pelo não dito”, disse o governante.

O ministro da Economia afiançou também que ao contrário daquilo que foi dito pelo presidente do Sindicato dos Pilotos, o Governo e o conselho de administração (CA) da Transportadora Aérea Cabo-verdiana (TACV) estão a trabalhar em “completa sintonia”.

“Há matéria que são questão internas e o Governo não interfere. A TACV está a passar por um período de transição da sua reestruturação acelerada para a privatização. Há muitas matérias que compete ao Governo e nó estamos em sintonia com o conselho de administração da empresa e não há divergências”, garantiu.

“O Governo traça as linhas estratégicas e nós concertamos regularmente com o CA no sentido de facultar todos os dados e as informações para poder cumprir com essa estratégia. Portanto não há divergência. Estamos à procura de soluções estruturantes para a TACV”, acrescentou o ministro.

Por outro lado, José Gonçalves negou que o actual PCA seja delegado dos TACV no Brasil e afirmou que assim como o administrador para área operacional, é também quadro da empresa.

“Não são pessoas que vieram de fora, são quadros da empresa que foram chamados porque conheciam bem a empresa para trabalhar e estão enquadrados dentro daquilo que é a norma da política empresarial e são pessoas a prestar serviços de forma abnegada e a fazer o seu melhor”, sublinhou o governante.

Na terça-feira, 11, em sede da comissão especializada de Finanças e Orçamento o presidente do Sindicatos dos Pilotos, Ricardo Abreu, alertou para perigos de acidentes de aviação em Cabo Verde, sublinhando que se não for mudada a forma de fazer aviação civil em Cabo Verde, o país voltará a ter outros acidentes com perdas de vida.

“Porque, infelizmente, a única importância que se dá é o avião sair. Desde que avião saia não se importa como é que saiu. E continuamos hoje com o mesmo estilo na aviação. Vai constar na acta, não é? Então vai ficar gravado o que vou dizer agora. Se não mudarmos de uma forma séria a forma de fazer aviação, a forma de agirmos na sociedade, vamos voltar a ter acidentes em Cabo Verde, vamos voltar a perder vidas”, afirmou.

MJB/ZS

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos