Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministro da Cultura diz que museus têm sido “a prova de resiliência” para o sector

Cidade da Praia, 18 Mai (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas disse hoje, na Cidade da Praia, que os museus têm sido a “prova de resiliência” para o sector cultural e exortou as famílias cabo-verdianas a visitarem os museus.

Abraão Vicente falava aos jornalistas à margem da sua visita aos museus de Arqueologia e da Etnografia onde presidiu à abertura da exposição “Panu di Téra”, no âmbito do Dia Internacional dos Museus, que se celebra hoje.

Segundo este responsável, o País celebra pela primeira vez o Dia Internacional dos Museus sob signo da entrada em vigor, no próximo domingo, da primeira lei-quadro dos Museus de Cabo Verde, pelo que, sublinhou, o País passa a ter “uma legislação moderna, adequada aos padrões internacionais, mas também aos desafios do presente”.

De agora em diante, frisou o governante, todos os museus de Cabo Verde terão um período de um ano para se adaptarem à nova lei e terão padrões internacionais estandardizado, de maneira que terão que passar para um novo processo de certificação e credenciação junto ao Instituto do Património Cultural (IPC).

Debruçando sobre os museus em tempos de pandemia, Abraão Vicente ressaltou que são “a prova da resiliência do sector da cultura”, fundamentando que, ao contrário dos outros sectores, nomeadamente das artes e espetáculos, da música e artesanato “que sofreram de facto um grande choque”, os museus continuaram.

“Apesar da grande diminuição do número de visitas, devido ao facto dos turistas não estarem com o mesmo volume que em 2019, os museus continuaram, as nossas peças históricas continuam com o mesmo valor”, salientou o governante.

Abraão Vicente disse acreditar que esse período foi de reflexão para os museus, sendo que muitos deles “melhoraram a sua qualidade temática”, tendo destacado o museu da Arqueologia Subaquática e o museu de Campo de Concentração do Tarrafal, lembrando da abertura, no ano passado, de novos museus como Casa da Morna, em São Nicolau, e Casa Eugénio Tavares, na ilha Brava.

“Este período pandémico está ainda complicado, mas acredito que após pandemia está-se a viver simultaneamente com o desenrolar da pandemia, ou seja nós estamos a preparar as instituições para pós pandemia, não podemos esperar que a pandemia termine para adaptar as instituições aquilo que é o futuro”, salientou.

Por isso, reiterou, os museus de Cabo Verde têm tido a “resiliência necessária” para manter a qualidade dos seus conteúdos, por isso apelou os cabo-verdianos a visitarem os museus do País.

“Faço esse apelo às famílias cabo-verdianas neste dia Internacional dos Museus, levem os filhos, os membros da família a fazer programas nos museus de Cabo Verde, porque de facto é uma forma de educar (…)”, concretizou o ministro.

Informou ainda que este novo mandato que iniciará na quinta-feira, 20, com a tomada de posse, será “sem dúvida o ano dos museus”, pois haverá requalificações dos existentes e lançamento de novos projectos museológicos, “um pouco por todo País, com várias temáticas”.

O foco, conforme o governante, será levar os museus aonde os cabo-verdianos ainda não têm tido acesso, designadamente ilhas como Santo Antão e São Nicolau, levando-as exposições provisórias em parceria com o poder local.

TC/AA

Inforpress/ Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos