Ministro da Cultura destaca importância da filosofia para a reflexão do pensamento crítico

Cidade da Praia, 26 Jul (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas realçou hoje a importância da filosofia para a reflexão do pensamento crítico, sobretudo no sector da cultura que requer mais especialização para se compreender e se criticar.

Abraão Vicente fez esta constatação, à margem da abertura da formação “Práticas da Filosofia com crianças: uma base educacional para o diálogo intercultural e a transformação social”, que decorre até quarta-feira, na Cidade da Praia, no âmbito da formação de formadores do programa Bolsa de Acesso à Cultura (BA-Cultura).

“Estamos a falar de uma formação baseada em filosofia, e parece um pouco estratosférico e fora de âmbito, mas a ideia é mostrar que a filosofia e o pensamento crítico ainda estão na moda. O sector da cultura é um dos que mais requer mais especialização para se compreender e para se criticar e nada como trazer a filosofia para ajudar nessa reflexão”, defendeu o governante.

O objectivo, segundo o ministro, não é só dar instrumentos internacionais padrão para a gestão dos projectos educativos ligados à formação cultural, mas também formatar uma nova mentalidade para o pensamento crítico relativamente à sociedade e às instituições cabo-verdianas.

“Temos em Cabo Verde picos de críticas e de reflexão contra ou a favor ao governo, aos ministros, as políticas culturais que são baseadas, essencialmente, nas percepções pessoais e individuais dos projectos pessoais de quem o faz, e, no entanto, há um mundo, um contexto e uma dinâmica que é preciso conhecer e há um instrumento de pensamento que valorizem o pensamento critico e a intervenção social”, mencionou.

Segundo o governante, a formação pretende através dos professores fazer com que o projecto BA-Cultura seja não só virado para o ensino artístico nas comunidades, mas também um programa que possa trazer essa mais valia através de formações que tem o selo de credibilidade da Cátedra UNESCO, de modo a criar nichos de reflexão sobre o sector da cultura e indústrias criativas.

A ideia, é capacitar professores para darem um contributo para o sistema educativo cabo-verdiano no sentido de formar uma nova geração não só de professores como de estudantes que têm na filosofia uma reflexão aprofundada para a realidade.

Abraão Vicente explicou que nessa fase experimental participam 20 professores, mas sublinhou que a ideia é multiplicar, integra-lo e adapta-lo às necessidades do sistema educativo, uma vez que já há uma conversação alargada com o Ministério da Educação e o Ensino Superior.

“Temos professores de vários níveis, e é um núcleo experimental, o nosso objectivo é fazer com que a Cátedra UNESCO multiplique, fazendo com que tenhamos relações e comportamento ‘win-win’ incluindo outras ilhas e sector dos professores”, referiu.

A formação “Práticas da filosofia com crianças: uma base educacional para o diálogo intercultural e transformação social e Rita Pedro formadora e animadora na área da Filosofia com criança” será ministrada por Edwige Chirouter, responsável pela Cátedra UNESCO.

ES/AV//CP

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos