Ministro da Agricultura e Ambiente diz que há ganhos na mobilização de água mas gestão deve melhorar

Ribeira Grande, 31 Out (Inforpress) – O ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, que terminou hoje uma visita a Santo Antão, considerou que se verificam ganhos na mobilização de água, mas “há muito por fazer no tocante à gestão desse recurso natural”.

“Nos concelhos da Ribeira Grande e do Paul podemos dizer, sem margem para dúvidas, que não há falta de água”, disse o ministro Gilberto Silva, reconhecendo que “o que deve haver é uma melhor de gestão da água”, para que se possa tirar o melhor proveito do precioso líquido.

Segundo Gilberto Silva, há um entendimento comum de que deve ser criado um mecanismo para uma gestão mais integrada da água, como forma de, entre outros aspectos, reduzir os conflitos que resultam da exploração da água.

A disponibilização de água foi um dos pontos fortes da agenda da visita daquele governante que testemunhou a assinatura de alguns contratos para a instalação de centrais fotovoltaicas destinadas a fornecer energia às bombas de extracção de águas subterrâneas.

Gilberto Silva disse aos jornalistas que “Santo Antão será a primeira ilha onde cem por cento (%) dos sistemas de bombagem, a partir de furos, serão electrificados com recurso à energia fotovoltaica” e, adianta o ministro, “representa um esforço muito grande mas que vai permitir a redução do custo da água”, melhorando, assim, as condições de rentabilidade das explorações agrícolas.

Na Ribeira da Torre, 20 agricultores vão beneficiar de um projecto integrado, orçado em cerca de 13.600 contos, que prevê a instalação de uma central fotovoltaica para a bombagem de água para agricultura, a construção de um reservatório de 150 metros cúbicos (m3), a adução da água e a instalação de sistemas de micro-irrigação.

Na Comunidade de Mocho da Garça, vai ser implementado um projecto idêntico para beneficiar 15 agricultores, orçado em cerca de 8.100 contos, que prevê a instalação de uma central fotovoltaica para a bombagem de água para agricultura, a construção de um reservatório de 60 metros cúbicos (m3) e a adução da água.

HF/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos