Ministro “convicto” de que ilhas do Fogo e Maio vão ser declaradas ‘Reserva Mundial da Biosfera da Unesco’ (c/áudio)

Assomada, 05 Jun (Inforpress) – O ministro da Agricultura disse hoje estar convicto de que as ilhas do Fogo e Maio vão ser declaradas ‘Reserva Mundial da Biosfera da Unesco’, após as candidaturas terem sido “bem apreciadas e recomendadas” para aprovação.

Gilberto Silva deu essa garantia à imprensa, à margem da exposição colectiva de “Arte, saúde e Ambiente”, promovida pelo Ateliê Beto Diogo, para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente, assinalado hoje, sob lema “ Hora da Natureza”, que decorreu na varanda Centro Cultural Norberto Tavares em Assomada, Santa Catarina (Santiago).

A exposição patente até este sábado foi realizada em parceria com a autarquia local e o Ministério da Agricultura e Ambiente e contou com a presença do presidente da câmara, José Alves Fernandes.

“Temos orgulho de informar aos cabo-verdianos que recebemos a comunicação do Secretariado do Programa ‘O Homem e a Biosfera’, da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) que as nossas candidaturas das reservas das ilhas do Fogo e Maio foram recomendadas para serem aprovadas, em Novembro, na Conferência do Comité Internacional do programa da Unesco”, declarou o ministro.

No entender do governante, se tudo correr bem Cabo Verde vai ganhar as referidas candidaturas, assim como aconteceu com a morna.

“Cabo Verde vai ganhar duas reservas mundiais da Biosfera da Unesco (…). E se isso vier a acontecer é a primeira vez que o País vai ter reserva mundial da biosfera da Unesco”, vincou o governante.

Se tal acontecer, Gilberto Silva garantiu que o arquipélago vai também estar a contribuir para o Planeta “com espaços que representam muito bem esta convivência homem e a natureza e de forma harmoniosa”.

“Isso vai trazer muitos benefícios para o nosso País, que vai ser mais conhecido, mais visitado, mas, também, vai ajudar a aumentar a auto-estima do próprio cabo-verdiano, maior consciência ecológica e ambiental dos nossos cidadãos na valorização de tudo o que temos”, vaticinou.

Com a declaração das ilhas do Maio e do Fogo como Reserva Mundial da Biosfera da Unesco,

prevista ainda para este ano, a mesma fonte defendeu que Cabo Verde deve aproveitá-la economicamente.

Aliás, disse acreditar que a mesma vai ser um “grande ‘input’” para o desenvolvimento do ecoturismo em Cabo Verde, ou seja, que as ilhas, neste particular Fogo e Maio, vão ser ainda mais visitadas, caso o País ganhar duas reservas mundiais da biosfera.

Na ocasião, afirmou que se tal acontecer vai ser o começo, tendo em conta que, segundo ele, o País já ganhou experiência para que mais tarde possa vir a apresentar novas candidaturas de outras ilhas “com potencial” para serem reservas mundiais da biosfera da Unesco.

O governante enalteceu “todo o trabalho” dos técnicos da Direcção Nacional do Ambiente e dos especialistas de Portugal, que no âmbito da cooperação portuguesa ajudaram Cabo Verde na preparação do dossiê apresentado à Unesco.

O Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado a 05 de Junho, é um evento mundial liderado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e comemorado por milhares de comunidades em todo o mundo. Desde que foi instaurado, em 1972, se tornou a maior celebração do meio ambiente.

O Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano incitará governos, indústria, comunidades e indivíduos a se unirem para explorar a energia renovável e as tecnologias verdes, bem como melhorar a qualidade do ar em cidades e regiões de todo o mundo.

Segundo a ONU Meio Ambiente, 92 por cento (%) das pessoas em todo o mundo não respiram ar limpo, a poluição do ar custa à economia global 5 triliões de dólares por ano, a poluição do solo pelo ozónio deverá reduzir os rendimentos de cultivos básicos em 26% até 2030.

FM/AA

Inforpress/Fim

 

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos