Ministro “absolutamente convencido” de que a PN está em condições de continuar a crescer

idade da Praia, 09 Mar (Inforpress) – O Ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, disse hoje, na Cidade da Praia, estar “absolutamente convencido” de que a Polícia Nacional (PN) está em condições de continuar a crescer “ainda mais”.

A afirmação foi feita no discurso de encerramento da XV Conselho de Comandos da Polícia Nacional, que aconteceu durante dois dias, na Cidade da Praia, para fazer o balanço das actividades do ano transacto e aprovação do plano de actividades do ano corrente, e o plano operacional para as próximas eleições.

“Estou absolutamente convencido de que a Polícia Nacional está em condições de continuar a crescer ainda mais. Os planos estão delineados, cabe executar as missões e cumprir com o que foi programado”, apontou.

Na ocasião, o ministro congratulou-se com os resultados positivos conseguidos pela instituição em 2020, a todos os níveis, pela liderança, pelo percurso e pela “ingente tarefa” de garantir a segurança.

“Os resultados espelham o empenho e o rigor e a liderança efectiva espelham direcção e controlo, onde reside a essência dos bons resultados”, precisou o governante.

Paulo Rocha ressalvou que, apesar dos resultados conseguidos, ainda há muitos desafios por superar, demonstrando neste particular a convicção de que concretizar os propósitos da Polícia Nacional, “é ter um país mais seguro”.

Para isso, apontou que à Polícia se exige rapidez de resposta, que , ajuntou, só será possível com “eficientes canais” de comando e decisão, com princípios e métodos modernos de planificação e organização, assim como pressão sobre os fenómenos criminais pontuais e emergenciais.

Paulo Rocha lembrou que o sentimento da confiança da população na Polícia Nacional continua “forte, sendo considerada, ao longo de vários anos”, a terceira instituição em que os cabo-verdianos mais confiam, “o que é preciso preservar a todo custo”.

Um estudo de Afrosondagem, realizado com base num inquérito de Dezembro de 2019 e cujos resultados recentemente foram divulgados, apontaram que a proporção dos cabo-verdianos que dizem não confiar ou confiam pouco na polícia tem aumentado, tendo passado dos 40% em 2014, para 45%, em 2017 e para 51% em 2020.

Da mesma forma diminuiu a proporção dos cabo-verdianos que dizem confiar razoavelmente ou muito na polícia, que passou dos 56% em 2014, 54% em 2017 e para 47% no último estudo.

OM/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos