Ministro Abraão Vicente quer ver mais jovens de São Vicente a beneficiarem da Bolsa de Acesso à Cultura

Mindelo, 26 Abr (Inforpress) – O ministro da Cultura, Abraão Vicente, desafiou mais escolas a se inscreverem no programa Bolsa de Acesso à Cultura (BA Cultura), em São Vicente, que neste momento só tem cinco escolas beneficiadas e 220 alunos contemplados.  

O governante fez o apelo hoje, no Mindelo, no acto da assinatura de contratos para atribuição de apoio da BA Cultura a cinco escolas de São Vicente, nomeadamente Grupo Desportivo Recreativo Eskedinha, Academia de Artes Integradas do Mindelo (ALAIM), Sodade Arte e Arte, Escola Inclusiva de Arte e Educarte, num montante total de cerca de 1.700 contos.  

Conforme a mesma fonte, o lema do Ministério da Cultura neste mandato é lavar a cultura o mais longe possível, tanto assim é que, neste momento, a nível nacional, já são 83 escolas beneficiadas com mais de três mil alunos, num montante de 22 mil contos e que deverá ainda ser reforçado com cerca de 4.500 contos, agora em 2022.  

No entanto, neste momento o desafio para Mindelo, que “está em défice”, é ter mais escolas inscritas e a beneficiar do programa, para além das actuais cinco, com 220 alunos.  

Abraão Vicente apontou o exemplo da Cidade da Praia, com 32 escolas, e interior de Santiago, com 21. 

“É impossível Mindelo, São Vicente, que é apresentada a nível internacional como ilha da cultura, não ter mais escolas”, realçou o governante, lançando o repto ao director do Centro Cultural do Mindelo e aos responsáveis das iniciativas contempladas que passem a palavra.  

Abraão Vicente disse ter “a mais absoluta convicção” que os alunos da BA Cultura serão “melhores cidadãos, participarão mais activamente e compreenderão todas as formas de arte de forma mais plena”.

Por outro lado, segundo a mesma fonte, os pais, com certeza, “já estão a ver as transformações que a arte provoca a cada dia”, porque, se está a “construi o futuro através do BA Cultura”,

É fundamental, ajuntou, que, os artistas e os criativos do Mindelo se engajem também na “pedagogia pela arte”, formalizando as iniciativas e fazendo com que jovens, crianças, adolescentes tenham acesso.

A representante das escolas, Albertinas Dias, por seu lado, assegurou que hoje já se vê frutos desse “grande apoio” com “resultados extraordinários” de jovens que até estão a tornar-se profissionais.  

“Todos os dias vemos os resultados do que é investir nos nossos jovens”, sublinhou a professora, para quem a BA Cultura “dá oportunidade aos que não podem pagar de terem inclusão através da cultura”.

O acto de assinatura foi acompanhado de diversas apresentações culturais com jovens e crianças, desde batucada, música com instrumentais, dança e ainda exposição de fotografias.  

LN/AA 

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos