Ministra da Educação quer materialização área de investigação, ciência e tecnologia empresarial

Cidade da Praia, 07 Abr (Inforpress) – A ministra da Educação comprometeu-se hoje a trabalhar o Gabinete de Ciência, Tecnologia e Inovação visando a materialização de uma área de investigação e promoção da ciência e tecnologia e de ligação de conhecimento com o mundo empresarial.

Maritza Rosabal fez este compromisso na cerimónia de entrega do prémio aos vencedores da quinta edição do concurso “Sturt Up Universitário”, onde defendeu a necessidade de se promover a ciência e a tecnologia empresarial em todos os domínios, bem como incentivar o acesso do sector privado a informação e a documentação científico e tecnológica.

“O Gabinete de Ciência, Tecnologia e Inovação vai trazer ganhos, pois, se trata de um instrumento que vai permitir agir no marco de relações institucionais bem definidas, que pretende materializar no país a área de investigação, promoção da ciência e tecnologia, e de ligação de conhecimento com o mundo empresarial”, disse.

Nesse sentido, sublinhou que o compromisso do Ministério da Educação é trabalhar o referido quadro para promover um sector produtivo, e fortalecer a relação do estado, das empresas, do ensino superior e dos centros de investigação académico e não académico.

 

Falando da ciência, tecnologia e inovação, a governante avançou tratar-se de uma relação que possibilita o desenvolvimento e a conciliação do ensino superior na sua vertente científico e tecnológico da inovação, permitindo o fortalecimento e impulsionando o desenvolvimento empresarial.

“Esta iniciativa incute nos jovens a vontade de fazer ciências e investigação, e permite que ideias inovadoras sejam desenvolvidas pelos estudantes. O Start Up desenvolve um novo paradigma sobre a produção de conhecimento, pois, os estudantes não se posicionam como meros reprodutores de conhecimento, mas aplicam e criam novos conhecimentos”, realça.

 

Maritza Rosabal, que fala da consolidação da edição do Start Up, lança repto no sentido da sua evolução para um novo patamar, baseado numa relação interinstitucional bem estabelecida e que não dependa de elementos circunstâncias.

Para o presidente da ADEI, Francisco Lima Fortes, as edições do Strat Up tem-se mostrado de “grande relevância” para o teste do conhecimento científico e tecnológico dos jovens estudantes no desenvolvimento de um modelo de negócio.

A quinta edição do concurso “Sturt Up Universitário” teve como vencedor o projecto “Cidade Segura”, de dois licenciados de Jean Piaget, que consiste na produção de uma “câmara inteligente” que reconhece e regista imediatamente a figura que passa a sua frente.

A iniciativa do concurso é do Ministério Ensino Superior, Ciência e Inovação (MESCI), em colaboração com a Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação (ADEI) e visa avaliar e premiar ideias e planos de negócios, constituindo uma importante ferramenta de apoio ao empreendedorismo com vista à criação de um sector privado forte e gerador de emprego qualificado.

PC

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos