Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

 Ministério Público acusa antiga funcionária da CMP por 26 crimes de falsificação de documentos e burla qualificada

Cidade da Praia, 11 (Inforpress) – O Ministério Público (MP) deduziu a acusação e requereu o julgamento para a responsabilização criminal de uma antiga funcionária da Câmara Municipal da Praia (CMP) por 26 crimes de falsificação de documentos e burla qualificada.

Segundo uma publicação na página do Ministério Público, esta decisão dá seguimento a uma denúncia apresentada dando conta de factos ocorridos entre Janeiro de 2015 a Fevereiro de 2017, susceptíveis de indiciarem a existência de ilícitos criminais praticados no âmbito de licenciamento de transporte em táxi no município da Praia.

De acordo com o MP, a arguida do sexo feminino, de 36 anos, que ao mesmo tempo da prática dos factos exercia a função de Ajudante de Escrivão na Direcção de Cobrança Coerciva da Câmara Municipal da Praia e no Serviço de Licenciamento de Táxis da CMP foi imputada à prática de 26 crimes de falsificação de documentos em autoria material e em concurso real efectivo como 26 crimes de burla qualificada, previstos e puníveis no Código Penal.

O Ministério Público também acusou pelos mesmos crimes um outro arguido do sexo masculino de 46 anos, que à data dos factos mantinha relações de afectividade com a antiga funcionária.

O arguido foi imputado por 26 crimes de falsificação de documentos em autoria material e em concurso real efectivo como 26 crimes de burla qualificada, previstos e puníveis. Os mesmos crimes também foram imputados à Sociedade Unipessoal criada pelos dois arguidos.

CD/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos