Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministério prepara programa de renovação de equipamentos dos centros e hospitais regionais no valor de nove milhões de euros

 

Cidade da Praia, 11 Abr (Inforpress) – O ministro da Saúde e Segurança Social, Arlindo do Rosário, disse hoje que o sector está a desenvolver um programa em parceria com o governo para a renovação dos equipamentos dos centros de saúde e hospitais regionais.

Arlindo do Rosário, que falava na cerimónia de abertura do ateliê de validação dos Planos de Desenvolvimento Sanitário das ilhas do Maio e São Nicolau, adiantou que o propósito é substituir os equipamentos que estão obsoletos nos vários serviços de saúde do país.

“É um programa ambicioso que exigirá ao governo a disponibilidade de uma boa quantia, pois, o montante para fazer esta substituição é muito elevado e ronda os nove milhões de euros (cerca de um milhão de contos)”, afirmou.

O governante fez saber que o processo está num “bom caminho” para se poder fazer a renovação de todos os equipamentos a nível das estruturas e os apetrechamentos já estão negociados a nível internacional.

Além dos equipamentos, Arlindo do Rosário prometeu, também, o aumento de número de profissionais a nível dos concelhos do país, e adiantou que Ribeira Brava vai ter dois médicos e Tarrafal, mais dois, o que no seu entender completa a existência de quatro médicos na ilha de São Nicolau.

Questionado sobre reclamações que dão conta de um retrocedimento no atendimento, humanização e serviço no hospital Dr. Agostinho Neto, o ministro da Saúde sublinhou que o sistema de saúde esta a avançar, mas diz-se consciente das dificuldades.

“Existe um longo caminho a percorrer para que o sector seja mais eficiente e eficaz”, revelou.

Para maior eficiência e eficácia do sector da saúde a nível nacional, Arlindo do Rosário prometeu mais médicos e enfermeiros para as ilhas, e adiantou que este ano foram contratados 82 técnicos, médicos e enfermeiros.

Para concluir, o ministro da Saúde avançou que a intenção do sector é fazer com que os dois hospitais centrais sejam uma referência pelo nível de complexidade que possuem.

PC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos