Ministério do Mar e autarquia do Maio assinam protocolo no valor de seis milhões de escudos

Cidade da Praia, 09 Nov (Inforpress) – O Ministério do Mar e a Câmara Municipal do Maio assinaram hoje um protocolo de financiamento parcial para a reabilitação do mercado de peixe da cidade do Porto Inglês orçado em mais de 15 milhões de escudos.

O protocolo assinado pelo ministro Abraão Vicente e Miguel Silva Rosa destina-se a reabilitação/requalificação do mercado de peixe, antes denominado “Scapa” e localizado na praia de “Bitche Rotcha” com um montante de seis milhões de escudos por parte do Ministério do Mar através do Fundo Autónomo das Pescas.

Na altura, o ministro do Mar avançou que quando chegou ao Ministério constatou a falta de infra-estruturas ligadas ao mar e de apoio em terra em termos de pescas, pelo que considerou tratar-se de problemas “cruciais” a serem resolvidos.

“De visita à ilha do Maio percebemos empenho por parte da câmara municipal de reestruturar as infra-estruturas em terra, nomeadamente de apoio às peixeiras e aos pescadores, imediatamente disponibilizamos para co-financiar e estamos disponíveis em financiar a reabilitação dos abrigos dos pescadores em zonas mais distantes do Porto Inglês”, disse.

No processo de reabilitação realçou que a ilha já tinha sido contemplada com um pacote de barcos fibrados e entregues aos pescadores, assim como um pacote em parceria com as instituições de microcrédito para compra comparticipada em 50 por cento (%) de motores para barco.

Com estes projectos pontuais, Abraão Vicente afirmou que o Governo está a fazer um trabalho na ilha do Maio com o propósito de empoderar o sector, lembrando que o debate no parlamento, na segunda-feira, por parte da oposição foi na perspectiva de que “não se está a dar motor e nem barco aos pescadores”.

Nesta perspectiva, ressaltou que não se vai dar nem motor nem barco a ninguém, visando a que os próprios pescadores compreendam o ponto de vista do Governo, pois segundo frisou, quanto mais se dá mais se pede.

Quanto ao pedido dos deputados do PAICV de dez motores para resolver o problema de Santiago Norte, destacou que só este ano foram comparticipados cerca de 48 motores para Santiago Norte e máquina de gelos a ser instalados em Calheta (Santa Catarina).

“Com a linha do Banco Mundial vamos começar a reestruturar o sector das pescas, assim como merece, de norte a sul do país, e sem descriminações partidárias”, enfatizou, sublinhando que o que se está a pedir é apenas proatividade por parte das câmaras municipais na apresentação de projectos à tutela do Mar.

O presidente da Câmara Municipal do Maio, Miguel Silva Rosa, ao usar da palavra, enalteceu o engajamento do Governo no projecto que terá impacto “significativo” nas peixeiras, pescadores e na população maiense.

“Vamos preparar os procedimentos e acreditamos que até ao final do ano vamos arrancar com as obras que terão a duração de seis a oito meses. O mais importante, nisto tudo, é o financiamento que estamos a mobilizar, mas neste momento tudo depende de nós”, disse garantido a conclusão da obra no primeiro trimestre de 2024.

O mercado de peixe localizado na praia de “Bitche Rotcha” vai beneficiar cerca de 100 vendeiras e pescadores e terá um número de cinco funcionários para sua gestão.

Do total de 15.441.900$00 para o financiamento da obra, o Ministério do Mar vai comparticipar com seis milhões de escudos e câmara municipal com cerca de 4 milhões de escudos, sendo que os restantes serão mobilizados junto dos parceiros.

PC/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos