Ministério da Saúde valida protocolo nacional de atenção integrada à saúde da pessoa idosa

Cidade da Praia, 13 Nov (Inforpress)- A coordenadora do Programa Nacional de Saúde do Idoso considerou hoje que a validação do protocolo nacional de atenção integrada à saúde da pessoa idosa irá contribuir para determinar e uniformizar directrizes para o atendimento a essa população específica.

Natalina Silva fez essa afirmação em declaração à Inforpress, à margem do ateliê de validação do protocolo nacional de atenção integrada à saúde da pessoa idosa 2018/2021, que decorre hoje nas Cidade da Praia.

A responsável explicou que o protocolo é elaborado em consonância com o Plano Estratégico Nacional para o Envelhecimento Activo e Saúde do Idoso (PENEASI) 2017 -2021, implementado pelo Ministério da Saúde e da Segurança Social, através do Programa Nacional de Saúde do idoso, com o apoio técnico e financeiro da Organização Mundial da Saúde e da (OMS) e Organização Oeste Africana para a Saúde (OOAS).

Segundo a coordenadora, o objectivo é organizar o serviço prestado no que diz respeito à atenção aos idosos em Cabo Verde, de modo a uniformizar as directrizes para o atendimento às pessoas idosas, ou seja, prestar cuidados uniformizados de qualidade.

“O trabalho de sensibilização foi feito pelo Ministério da Educação e pelos centros de atendimento aos idosos em todo o país e em articulação com outros sectores, como o Ministério da Família. Estamos a elaborar o protocolo para determinar os cuidados que os idosos deverão ter”, revelou a responsável, que assegurou que essa população já tem conhecimento deste programa.

Por seu turno, o representante da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mariano Salazar Castellón, garantiu que a OMS vai apoiar Cabo Verde na preparação do protocolo de atendimento para a população idosa, medida essa que, ao seu ver, vai contribuir para melhorar a qualidade de atendimento a essa população específica e promover o processo de envelhecimento saudável.

“Temos que olhar para o envelhecimento na perspectiva da promoção da saúde, mas para tal será necessário o compromisso do Governo através da oferta dos serviços tradicionais, mas também o envolvimento da sociedade para poder atender essa população que tem vulnerabilidades específicas e está a crescer em todo mundo”, sublinhou.

Para Mariano Salazar Castellón, o Plano Estratégico Nacional para o Envelhecimento Activo e Saúde do Idoso não se restringe apenas à saúde dos idosos, mas ao envelhecimento da população cabo-verdiana, à qualificação dos profissionais dos serviços de saúde, à sustentabilidade do sistema de saúde e à participação da sociedade civil na construção, organização e avaliação das políticas públicas.

Por outro lado, sublinhou que o seu sucesso dependerá da introdução de uma cultura de planeamento e de produção conforme organizado, monitorização dos processos e resultados, mas que para tal será preciso um sistema de formação “robusto” e actualização e capacitação de profissionais com o foco no atendimento e na necessidade dos cidadãos.

AV/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos