Ministério da Saúde reúne parceiros para socializar e validar o Plano Estratégico Nacional de Saúde Sexual e Reprodutiva para 2018/2022

 

Cidade da Praia, O8 Nov (Inforpress) – O Ministério da Saúde e da Segurança Social, em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA,) realiza quinta-feira, 09, um atelier de socialização e validação do Plano Estratégico Nacional de Saúde Sexual e Reprodutiva para 2018/2022.

Em declarações à Inforpress, a coordenadora Nacional do Programa de Saúde Sexual e Reprodutiva (PNSR), Yorleidis Rosabal, explicou que o evento visa delinear estratégias e intervenções que respondam às novas perspectivas políticas da saúde, uma vez que o último plano programa referente a saúde reprodutiva e sexual faz referência ao ano 2008/2012.

“A partir desta data, não foi elaborado nenhum documento estratégico e, segundo uma análise elaborada nos últimos cinco anos sobre a matéria, no que se trata a constrangimentos, estrangulamentos e ganhos, temos de conseguir ultrapassar as lacunas existentes com intervenções bem direccionadas”, disse.

Conforme a directora do PNSR, o plano pretende integrar tudo quanto for indicações politicas do sector da saúde, assim como sectores chaves, isso tendo em consideração os compromissos existentes na matéria da saúde sexual e reprodutiva incluindo as dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Tudo isso, explica, para responder aos indicadores propostos a nível nacional e no ODS e trabalhar com todos os actores chaves na matéria, para responder a todos os domínios e aos grupos alvos no ciclo da vida.

“Queremos com isso trabalhar a redução da mortalidade materna neo-natal infantil, intervir na saúde sexual e reprodutiva dos adolescentes e jovens, mulheres e homens, na perspectiva género, e tentar integrar um elemento que responde a violência sexual baseada nos géneros, assim como serviços mais acessíveis às pessoas portadoras de deficiência e do HIV”, adiantou.

Apesar disso, Yorleidis Rosabal diz estar consciente de que não poderão fazer tudo quanto pretendido no plano, nos próximos cinco anos, mas promete o estabelecimento de prioridades junto dos parceiros.

O atelier visa recolher subsídios para a finalização do plano estratégico para 2018/2022, um documento que se quer orientador para o trabalho que se quer em matéria de saúde sexual e reprodutiva.

PC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos