Covid-19: Ministério da Saúde redefine critérios de alta que passa a ser em sete dias

Cidade da Praia, 04 Jan (Inforpress) – O Ministério da Saúde emitiu hoje um conjunto de critérios de alta para pessoas com SARS-Cov-2, assim como precauções para os contactos próximos no contexto da variante Ómicron.

Numa directiva enviada à Inforpress, assinada pelo director nacional da Saúde, as autoridades sanitárias informam que o período de isolamento de pessoas devido à infecção com a covid-19 passa a ser sete dias, a partir da data do início dos sintomas ou da data de colheita de amostra cujo resultado foi positivo.

A mesma fonte acrescenta que as pessoas que forem consideradas contactos próximos dos infectados, caso não apresentem sintomas, não precisam de testes de despistagem e nem ficar de quarentena profilática.

“Se apresentaram sintomas devem contactar a delegacia de saúde logo que possível para a realização de testes para esclarecimento de diagnóstico”, recomenda.

Por outro lado, acrescenta, que caso o resultado for negativo o contacto pode voltar ao convívio social, observando rigorosamente todas as medidas de prevenção.

“Se o resultado for positivo, deve seguir as orientações do Ministério da Saúde e cumprir o isolamento de sete dias” indica.

A directiva do Ministério da Saúde esclarece, no entanto, que em qualquer uma dessas situações as pessoas devem cumprir rigorosamente as medidas de prevenção estipuladas, incluindo o uso adequado dos elementos de protecção individual.

As autoridades sanitárias definem como contacto uma pessoa que tenha estado a menos de um metro de distância (inclui contacto físico) por mais de 15 minutos e sem uso de máscaras com um caso confirmado de infecção, dois dias anteriores até sete posteriores à confirmação laboratorial (nos casos de infecção assintomática) ou no início dos sintomas (nos casos sintomáticos).

O Ministério da Saúde esclarece que estas recomendações se deve ao facto da maioria das transmissões da SARS-CoV-2 ocorrerem no início da infecção, que acontecem geralmente um ou dois dias antes do início dos sintomas e dois ou três dias depois.

Cabo Verde registou nas últimas 24 horas mais 1.025 casos de infecção por SARS-CoV-2 e mais dois óbitos, tendo aumentado para 5.568 o número total de casos activos, revelou hoje o Ministério da Saúde.

De acordo com o boletim epidemiológico, foram 3.005 amostras analisadas, das quais 1.025 revelaram resultado positivo à covid-19, perfazendo um recorde diário de infecções no arquipélago, e uma taxa de positividade de 34,1%.

Dos dois óbitos associados à covid-19, um ocorreu em São Vicente, a ilha que reportou hoje mais casos, 237, e o outro no concelho da Praia com 231 infecções nas últimas 24 horas.

OM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos