Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministério da Educação ultima preparativos para arranque do ano lectivo 2021-2022 (c/áudio)

Cidade da Praia, 01 Set (Inforpress) – O ministro da Educação reuniu-se hoje em conselho alargado com os dirigentes dos serviços centrais e desconcentrado para partilhar informações e ultimar os preparativos para o arranque do ano lectivo a ter lugar a 13 de Setembro.

“Esta reunião serve para fazermos o ponto de situação da organização do próximo ano lectivo. O ano escolar começa hoje e as aulas têm início no dia 13 e estamos, neste momento, a fazer ponto de situação depois de alguns meses de trabalho no processo de organização do não lectivo”, disse o ministro da Educação em declarações à imprensa.

Segundo o governante, na generalidade, estão criadas as condições para o arranque do ano lectivo sem grandes sobressaltos. Apesar disso, afirmou que é preciso que todos estejam focados na organização do ano lectivo.

Questionado se já há decisão para a vacinação de crianças de 12 a 18 anos, Amadeu Cruz, avançou que neste processo a responsabilidade é do Ministério da Saúde, pelo que o sector da educação segue as orientações genéricas das autoridades sanitárias.

“O que está concebido é que haverá vacinação para todos os professores, funcionários e alunos com mais de 18 anos. Para já temos mais de 75% de professores e funcionários vacinados”, assegurou.

Afirmou ainda que caso o Ministério da Saúde tome a decisão de vacinar crianças de 12 a 18 anos, o sector da educação irá criar condições para que assim aconteça.

O certo, sublinhou, é que o Ministério da Educação está a criar todas as condições para o regresso efectivo dos alunos e dos professores ao ambiente escolar em regime presencial e cumprindo a carga horária total.

Avançou ainda na sua declaração que os manuais escolares do 1º ao 8º ano já estão à venda, a nível nacional, com excepção da língua portuguesa e matemática do 8º ano.

“No entanto poderá haver uma ou outra falha em reposição de stock, mas o que garanto é que a Ficase está em condições de disponibilizar os manuais, pois, uma parte foi importada de Portugal e o barco chegou ontem, pelo que estamos em condições de distribuir os manuais em todo o território nacional”, garantiu.

Quanto aos professores, realçou que, neste momento, a totalidade de professores para iniciar o ano estão todos disponíveis, quer para transferência, quer por contratação de novos docentes.

O conselho alargado, além de servir para partilhar informações sobre as orientações gerais do funcionamento do ano letivo, serviu também para esclarecimentos sobre o programa de vacinação dos professores, funcionários e alunos, condições sanitárias das escolas, gestão dos recursos, produção e distribuição de manuais, assim como a acção social escolar.

O encontro que foi presidido pelo ministro da Educação, Amadeu Cruz, contou com a presença da secretária de Estado do Ensino Superior, directora nacional da Educação, dirigentes dos serviços centrais, delegados dos concelhos da ilha de Santiago e com a participação, via plataforma Zoom, dos delegados dos demais concelhos do País.

PC/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos