Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministério da Educação quer melhorar qualidade e eficiência do sistema educativo no próximo ano lectivo – ministra

Cidade da Praia, 22 de Ago (Inforpress) – A ministra da Educação, Maritza Rosabal, prometeu hoje que o seu ministério vai continuar a trabalhar para melhorar a qualidade do sistema educativo no próximo ano lectivo.

A governante falava no acto de encerramento do Conselho do Ministério da Educação que, durante três dias, reuniu, na cidade da Praia, os delegados provenientes de todos os concelhos do país.

Segundo Maritza Rosabal, o objectivo fundamental do processo educativo é continuar a trabalhar para melhorar, e esta será “a máxima” a ser seguida no ano lectivo que se encontra à porta.

“Vamos trabalhar e continuar no processo de ensino aprendizagem, na implementação do plano curricular, na introdução das tecnologias da comunicação e de informação com uma nova abordagem a partir do 5º ano de escolaridade, apostando na capacitação de docentes, mas apostando também na inclusão educativa,” afirmou a ministra.

Uma das “grandes apostas”, segundo a ministra, será a inclusão educativa, por isso, neste quadro, ajuntou, foi criado um regime jurídico que vai permitir dar respostas e criar as condições necessárias para que alunos com necessidades educativas especiais sejam incluídos no ensino.

Para o próximo ano, acrescentou a mesma fonte, o Ministério da Educação também pretende continuar a fortalecer processos de gestão, com a publicação de um quadro legal e aplicação das tecnologias para a gestão, particularmente o Sistema Integrado de Gestão Escolar (SIGE) para o Ensino Básico, garantindo “maior eficácia e maiores respostas”.

“O SIGE para o Ensino Básico coloca grandes desafios porque teremos que ligar todas as escolas à rede eléctrica e também ter acesso à Internet. Portanto, é um grande desafio, mas é um processo que começamos e que teremos que aprofundar”, sustentou Maritza Rosabal, avançando ainda que no próximo ano a gestão dos recursos humanos será diferente, porque vai permitir que as delegações se apropriem desse sistema para que as respostas sejam mais céleres para os docentes.

O ensino pré-escolar terá melhorias assim como o projecto de acção social escolar, este último, segundo Martiza Rosabal, desde há dois anos tem recebido “muito investimento.”

“O resultado está à vista. Melhor transporte escolar, mais crianças beneficiadas, melhor alimentação e melhor dieta alimentar e mais crianças a frequentar o pré-escolar”, destacou a ministra da Educação, para quem no próximo ano lectivo perto de 20 mil famílias serão beneficiadas directamente pelo não pagamento de propinas pela frequência dos alunos à escola.

De entre outras medidas a serem implementadas para o próximo ano lectivo estão também a efectivação do Ensino Básico até o 8º ano, a implementação de uma nova matriz curricular, com novos programas, guias e manuais para o 1º e 5º ano do Ensino Básico, a introdução das línguas inglesa e francesa no 5º ano de escolaridade, a isenção de propinas para estudantes do 7º ano e reabilitação de 77 escolas do Ensino Básico em todo o país.

Conforme o Ministério da Educação, todas estas medidas enquadram-se nas orientações da nova política educativa explanada no Programa do Governo para a IX legislatura e materializadas no Plano Estratégico da Educação 2017-2018.

CD/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos