Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Ministério da Educação está a criar “melhor cenário” para garantir segurança dos alunos – Eleonora Sousa (c/áudio)

Cidade da Praia, 17 Set (Inforpress) – A directora nacional da Educação pediu hoje aos pais e encarregados de educação para confiarem no Ministério da Educação, pois estão a trabalhar para apresentar o “melhor cenário” que garanta a segurança dos alunos no retorno às aulas.

Faltando poucas semanas para o regresso às aulas, alguns pais e encarregados de educação estão um pouco apreensivos e demonstram alguma incerteza com a decisão do Ministério da Educação em avançar com aulas presenciais, neste contexto de covid-19.

Para Eleonora Sousa este sentimento dos pais “é normal” mas, assegurou, o Ministério da Educação está a tentar criar todas as condições à luz das orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde para garantir o regresso às aulas com a “máxima segurança e tranquilidade”.

Em declarações à Inforpress, a directora nacional da Educação disse que está sendo feito todo um trabalho de redução do número de alunos nas salas e que estão a criar as condições para a higienização das mãos, de distanciamento social e de utilização das máscaras a nível das escolas.

Sendo que esta é uma luta de todos, aproveitou para apelar a um maior envolvimento dos pais e encarregados de educação neste processo.

“A mensagem que tem sido transmitida é de que o sucesso do combate a esta pandemia só será eficaz se todos nós colaboramos e é esse o apelo que nós fazemos aos pais e encarregados da educação, no sentido de cumprirem com a sua parte, também, para que juntos possamos minimizar os efeitos desta pandemia”, apelou.

Para esta responsável, este regresso às aulas é também uma forma de colaborar para a saúde das crianças, adolescentes e jovens, isto é, é cuidar da saúde física e mental dos educandos e de toda a comunidade educativa.

“Eles estão a sentir falta deste contacto com as escolas, com os colegas, com os professores, com os conteúdos e com esse trabalho de cidadania que nós fazemos a nível das escolas”, afirmou.

Eleonora Sousa informou que o Ministério da Saúde também está a trabalhar com cenários de aparecimento de casos nas escolas e há orientações para porem em marcha o plano de emergência, existentes em todos os estabelecimentos de ensino.

“As escolas têm os seus planos de emergência e sabem como é que devem reagir, ao primeiro sinal. Accionar a delegacia de Saúde dos respectivos concelhos”, precisou.

Esta responsável mais uma vez apelou aos pais e encarregados de educação para que se um aluno ou aluna tiver febre, tosse ou qualquer sintoma ligado à covid-19 não devem ir para a escola, mas sim devem contactar, de imediato, a delegacia de saúde e a escola para informar a ocorrência.

Já a escola por sua vez, prosseguiu, deve articular com a delegacia de saúde para o despiste dos grupos de contactos.

“Tudo isto está devidamente orientado e acautelado e é, portanto, esta recomendação que deixamos aos encarregados de educação: estar a articular sempre com a escola, com o professor caso o aluno tenha febre, tosse ou outros sintomas que poderão ser associados à covid-19”, reforçou.

AM/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos