Ministério da Cultura manifesta pesar pela morte da artista plástica Luísa Queirós

 

Cidade da Praia 22 de Jun (Inforpress) – O Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas lamentou hoje a morte da artista plástica Luísa Queirós, esta tarde no Mindelo, São Vicente, e endereçando, em nome do Governo, condolências aos familiares e amigos próximos.

Em comunicado de imprensa, o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, declarou que foi com “enorme pesar” que tomou conhecimento do falecimento da artista plástica Luísa Queirós, hoje, no Mindelo.

Reconhece Luísa Queirós como uma “figura incontornável” da história das artes plásticas cabo-verdiana, uma artista com “grande perícia técnica, uma investigadora, detalhista e portadora de um imaginário que não só recria Cabo Verde”, como também “aumenta o imaginário cabo-verdiano” através de “figuras de histórias únicas”.

“Cabo Verde acaba de perder uma das suas figuras mais relevantes na cultura/artes plásticas. Luísa Queirós foi uma das fundadoras do Centro Nacional do Artesanato junto de uma geração brilhante de artistas, incluindo o esposo, uma pedagoga por toda a sua vida”, frisou.

O governante afirmou que este é um momento de consternação e apela para que toda a nação renda uma “homenagem a esta figura, estudando e preservando” a sua obra.

A artista plástica Luísa Queirós faleceu ao início da tarde desta quinta-feira no Hospital Baptista de Sousa, em São Vicente, onde se encontrava internada, vítima de doença prolongada.

Natural de Lisboa e esposa do também artista plástico cabo-verdiano Manuel Figueira, Luísa Queirós e o marido residiam em Cabo Verde desde 1975.

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos