Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mentor da Pratex diz que o objectivo é oferecer à população da comunidade de Safende um serviço “ágil e seguro”.

Cidade da Praia, 29 Dez (Inforpress) – Ivan Moreira, um dos jovens mentores da Pratex, disse hoje, em declaração à imprensa, que o objectivo desta plataforma digital visa oferecer à população da comunidade de Safende (Praia), um serviço “ágil e seguro”.

Uma outra preocupação, avançou, é no sentido de organizar os profissionais em áreas práticas, estabelecendo uma ponte entre clientes e potenciais clientes.

Ivan Moreira fez essas considerações à margem do lançamento oficial da referida plataforma digital, hoje, na Kasa D’Amizadi, em Safende, outrora tido como um dos bairros mais problemáticos da capital.

“Há muito tempo que Safende está a trabalhar para alcançar os resultados que está a ter hoje”, indicou Ivan Moreira, lembrando que a criação da Pratex é um trabalho associativo de dez a 15 anos.

Segundo ele, a associação local criou mecanismos que proporcionam aos jovens a oportunidade de serem empreendedores.
Instado sobre os resultados conseguidos até ao momento com a criação da Pratex, afirmou que têm sido “muito positivos”.

Explicou que estes ganhos ficam a dever-se não só a um plano estratégico de marketing, mas também a “grandes parceiros”.

Para Ivan Moreira, Pratex não foi desenvolvida para servir apenas a comunidade de Safende, mas sim para abranger todo Cabo Verde.

“É com orgulho que digo que Pratex nasceu em Safende, mas a sua visão é fazer parceria com grandes empresas e instituições, com vista a satisfazer necessidades do público cabo-verdiano”, concluiu.

Por sua vez, o secretário de Estado para a Inovação e Formação Profissional, Pedro Lopes, revelou aos jornalistas que se congratula com a iniciativa do grupo de jovens do citado bairro que se empenharam em colocar à disposição dos cabo-verdianos uma aplicação de prestação de serviços em vários sectores, como hotelaria, restauração e indústria.

“É importante vermos que há jovens, em qualquer parte de Cabo Verde, a desenvolver soluções tecnológicas para servir as pessoas”, precisou Pedro Lopes, para quem “cada vez mais o Governo está a criar um programa de apoio à inovação e tecnologia para que estas sejam o motor do desenvolvimento do País”.

LC/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos