Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Memorial para honrar veteranos cabo-verdianos está a nascer nos EUA

 

Exeter, 07 Out (Inforpress) – Um memorial para homenagear os cabo-verdianos que lutaram nas forças Armadas americanas ao longo dos anos começou este mês a ser construído em Exeter, em Rhode Island, e deverá ser inaugurado no início do próximo ano.

A presidente do projecto, Lucy Rose, é filha de um imigrante cabo-verdiano que combateu pelos EUA durante a Segunda Guerra Mundial.

“O meu pai foi um veterano da Segunda Guerra Mundial. Ele e a minha mãe descansam agora. O meu irmão John serviu dois destacamentos no Vietname. Embora eu nunca consiga perceber tudo aquilo porque passaram, eles e todos os outros cabo-verdianos merecem saber que os honramos e apreciamos”, explicou Lucy Rose.

O projecto foi lançado esta semana numa cerimónia com 200 pessoas que contou com a presença do presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, o senador Sheldon Whitehouse e Avelino Rose, um veterano cabo-verdiano de 93 anos.

Avelino alistou-se nas Forças Armadas em 1943, poucos anos depois de chegar aos EUA, e começou o seu serviço construindo pistas de aeroporto na Flórida.

Foi depois destacado para a China, India e Burma. Em todos os locais, disse, encontrava imigrantes cabo-verdianos com o uniforme dos EUA e cantavam canções de Cabo Verde para passar o tempo.

Durante a cerimónia, o senador Whitehouse lembrou o atual debate político nos EUA dizendo que “é sempre correto reconhecer, especialmente neste momento da história, que a América tem sido uma nação de imigrantes durante séculos.”

“O que é realmente especial sobre estes veteranos é que eles vieram para os EUA em busca de oportunidades, sim, mas também para servir”, disse o responsável pela Guarda Nacional de Rhode Island, Christopher P. Callahan.

O director do Escritório para Assuntos de Veteranos, que também participou na cerimónia, lamentou a “divisão” atual na sociedade americana e disse que monumentos como o que será construído ajudam as comunidades a unir-se e lutar contra a intolerância.

A imigração para os EUA de Cabo Verde começou no início do século XIX, quando homens destas ilhas embarcavam nas baleeiras americanas. Estima-se que hoje existam perto de 100 mil cabo-verdianos no país, sobretudo nos estados de Rhode Island, Massachusetts e Califórnia.

Inforpress/Lusa

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos