Mediadores que trabalham com ex-toxicodependentes e ex-usuários de drogas em formação em Liderança Transformacional

Cidade da Praia, 07 Nov (Inforpress) – Mediadores que trabalham com ex-toxicodependentes e ex-usuários de drogas encontram-se reunidos, na Cidade da Praia, para participar no 2º ateliê de formação em Liderança Transformacional, promovido pela Aliança Nacional das Comunidades para a Saúde.

Segundo explicou a formadora, Lourença Tavares, o objectivo é reforçar os modos do primeiro ateliê que decorreu em Maio deste ano na Guine Bissau, colocar em prática os conceitos de liderança de modo a ajudar os toxicodependentes e abordarem a problemática da droga com auto consistência e consensualizando-os que, enquanto pessoa humana, são capazes de “mudar e construir a vida e projectos”.

Por outro lado, avançou que a ideia é fazer com que sejam lideres, porta-voz e transmissores de mensagem, e que apresentem às sociedades e comunidades onde vivem de que tem capacidades e são capazes de gerir situações de diálogo, de questionar, de perceber e ultrapassar determinadas situações, e interpretar pela positiva, já que existe “um certo preconceito” e visões diferentes das coisas.

Para Lourença Tavares, o essencial é que essas pessoas tenham a consistência de que podem “mudar de vida, ser útil e contribuir para o bem”, tendo realçado que a perspectiva é ter homens conscientes de que podem ajudar a mudar e serem líderes.

Na ocasião, lembrou que durante o primeiro ateliê, que decorreu na Guine Bissau, foi elaborado em plano de acção que visa trabalhar na sensibilização, realização de palestras e levar mensagens dos conceitos apreendidos na formação.

Por seu turno, Adilson Miguel Lopes, ex-usuário de drogas da Guiné Bissau, considerou que esta formação é “muito importante”, uma vez que ajuda a adquirir ferramentas que serão replicados nas respectivas comunidades, sociedades e junto dos jovens, que estão mergulhados no mundo das drogas.

Segundo afirmou este participante, o trabalho de sensibilização realizado no terreno tem decorrido “muito bem”, mas assegurou que muita das vezes são confrontados com pessoas que não querem aceitar ou reconhecer de que são toxicodependentes e que precisam de ajuda.

Com o apoio do Fundo Global, a Aliança Nacional das Comunidades para a Saúde está a implementar o programa regional denominado “Redução do Risco de VIH/TB e outras Comorbidades e Promoção dos Direitos Humanos para os Usuários de Drogas Injectáveis (PARECO) ” em cinco países da África Ocidental, Burkina Faso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Guiné Bissau e Senegal.

O programa tem por objectivo melhorar o acesso aos serviços de Redução de Riscos (RdR) e a promoção dos direitos humanos dos Usuários de Drogas Injectáveis (UDIs).

AV/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos