Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mau Ano Agrícola: PAICV de Santa Catarina pede celeridade no apoio da autarquia e do Governo aos agricultores

 

Assomada, 26 (Inforpress)- O PAICV de Santa Catarina defendeu quinta-feira que a autarquia e o Governo devem “agir rapidamente” para ajudar os agricultores e criadores de gado, no âmbito do Programa para a Mitigação da Seca e do mau ano agrícola.

Em declarações à imprensa, após o encontro que a bancada do Partido Africano para a Independência de Cabo Verde (PAICV) teve com a equipa camarária para se inteirar das medidas do plano de mitigação do mau ano agrícola, o líder da bancada, Lamine Tavares, afirmou que o plano “era para ontem”, alertando que há pessoas em dificuldades porque as respostas ainda não chegaram.

De acordo com a mesma fonte, a própria edilidade admite que há problemas na execução do plano, mormente ao montante disponibilizado para o concelho e ainda a necessidade de contemplar mais de uma pessoa por casa nas frentes de trabalho, tendo assumido acelerar o processo para dar respostas.

Por outro lado, disse que as autoridades não estão a falar a “mesma língua” dos agricultores e criadores de gado, sugerindo que se faça explicações do plano aos homens do campo, para que não se crie expectativas de coisas que não estão a acontecer.

Por seu turno, o edil santa-catarinense, José Alves Fernandes, que destacou o “entendimento” saído da reunião entre as partes sobre o plano de mitigação, assegurou que o mesmo já está em curso naquele concelho do interior de Santiago.

Nesse sentido, fez saber que no domínio da criação de emprego já foram criados 2200 empregos e que a distribuição de vales cheques está em curso e a ser coordenada pelo Ministério do Ambiente e Agricultura (MAA).

Na linha do PAICV, o autarca admitiu que é preciso acelerar o processo de distribuição de vales cheques, tendo comprometido a criar mais uma equipa para fazer este trabalho.

Em relação ao apoio do Governo, afiançou que a autarquia já recebeu uma parte, concordando que há uma necessidade de um reforço, tendo em conta que número de efectivos é maior que o indicado pelo censo de 2015 e porque famílias de todas as localidades do concelho estão a passar por dificuldades.

O autarca disse ainda que a edilidade vai fazer um esforço interno a nível financeiro para a implementação do plano de mitigação.

FM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos