Maritza Rosabal defende necessidade de articulação entre instituições que lidam com a proteção da criança

Cidade da Praia, 23 Out (Inforpress) – A ministra da Família e Inclusão Social defendeu hoje a necessidade e de se fazer a articulação entre as diferentes instituições que lidam com a proteção dos direitos da criança, no sentido de haver maior eficácia nos resultados.

Maritza Rosabal defendeu esta posição em declarações aos jornalistas, à margem do 4º Encontro Nacional de Coordenação e de Reforço das capacidades técnicas de intervenção do Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA), que decorre na cidade da Praia.

Segundo a governante, esta articulação servirá, não só para racionalizar os meios como também para a melhoria em termos de eficácia nos resultados.

“As vezes, nós fechamos numa instituição e não articulamos com outras que têm competências especificas em determinadas áreas (…) Nós precisamos de psicólogos, mas temos muitos psicólogos nos centros de saúde e em diferentes lugares que podem ser utilizados e que conhecem melhor a realidade”, afirmou.

Maritza Rosabal exemplifica ainda que, no caso da Educação, há o programa de alargamento do tempo de permanência das crianças nas escolas em outras actividades, em que o ICCA poderá articular e fazer isso com as escolas.

A ministra defendeu também a intervenção directa junto das famílias, bem como uma articulação com a Polícia na área de protecção da infância e, sobretudo, com as equipas das câmaras municipais que estão no terreno a trabalhar na área da proteção social.

“A partilha de boas práticas em diferentes lugares reforça sempre as competências em geral”, defendeu.

GSF/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos