Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mário Fernandes é o primeiro cabo-verdiano nomeado para representar o presidente da Comissão da CEDEAO (c/áudio)

Cidade da Praia, 10 Set (Inforpress) – Mário Fernandes é o primeiro cabo-verdiano nomeado pelo presidente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Jean-Claude Kassi Brou, para o representar na Guiné-Conacri e promete “não defraudar as expectativas” de quem o indicou.

Mário Fernandes, que viaja hoje para a Conacri, vai com uma missão de dois anos, mas, disse, “há possibilidades de renovação do contrato, o que vai depender de ambas as partes”.

“Espero dar o meu máximo para não defraudar as expectativas do senhor presidente da Comissão”, prometeu Fernandes, que disse sentir-se “orgulhoso” por ser o primeiro cidadão nacional a ser designado para representar o presidente da Comissão da CEDEAO num país “vizinho e irmão, com se costuma dizer”.

O representante de Jean-Claude Kassi Brou fez essas considerações à imprensa, depois de uma audiência com o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, com quem abordou assuntos atinentes às novas funções que vai desempenhar em Conacri.

Segundo ele, tendo em conta que Cabo Verde pertence à CEDEAO, é da praxe que falasse com o Chefe de Estado antes da partida dele, prevista para esta noite, via Lisboa, Portugal.

Mário Fernandes chega à Conacri e, conforme disse, começa logo a trabalhar, tendo em conta que o país realiza eleições presidenciais no próximo dia 18 de Outubro.

Assim, Jean-Claude Kassi Brou o pediu para estar em Conacri “o mais cedo possível”.

“Não estou lá ainda por causa das ligações que não têm sido muito fácil, uma vez que, neste momento, Cabo Verde não tem voos para nenhum país africano”, explicou Mário Fernandes.

Instado sobre o processo da sua nomeação, esclareceu que se candidatou ao cargo, apresentando o currículo, na base do qual teve uma reunião de mais de 35 minutos com o presidente da Comissão com quem falou sobre diversas questões, particularmente em relação ao país onde o vai representar.

“Foi nesta óptica que o senhor presidente me indicou para o representar na Guiné”, precisou Fernandes, que garante colocar a sua experiência ao serviço da CEDEAO, de cujo parlamento já fez parte.

Além da experiência parlamentar na organização sub-regional, na década de 90 desempenhou as funções de embaixador de Cabo Verde, com residência na capital senegalesa, Dacar, cobrindo a maior parte dos países da África Ocidental.

“Tudo isto vai ajudar-me nas novas funções, pois cheguei a conhecer várias pessoas, enquanto deputado”, comentou, mostrando-se convencido que vai aprendendo cada vez mais.

Mário Fernandes, além do curso de Engenharia Mecânica, é licenciado em Direito. Também já desempenhou as funções governativas em Cabo Verde.

A CEDEAO integra a Nigéria, Libéria, Senegal, Burkina Faso, Mali, Gâmbia, Togo, Gana, Benin, Serra Leoa, Guiné-Bissau, Guiné-Conacri, Costa do Marfim, Cabo Verde e Níger. Abrange um mercado de mais de 300 milhões de habitantes.

LC/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos