Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Manifestação em Tunes contra golpe de Saied

Tunes, 18 Set (Inforpress) – Várias centenas de pessoas manifestaram-se hoje em Tunes contra o golpe do Presidente Kais Saied, que se atribuiu plenos poderes a 25 de Julho, pedindo um retorno “à legitimidade” do governo.

Respondendo a um apelo divulgado nas redes sociais, os manifestantes concentraram-se na avenida Habib Bourguiba, que atravessa o centro da capital tunisina, rodeados por um importante dispositivo de segurança, constataram jornalistas da agência France-Presse.

Um ‘drone’ (avião não tripulado) do Ministério do Interior sobrevoava o local.

“O povo quer derrubar o golpe de Estado”, “Queremos legitimidade”, “Constituição, liberdade, dignidade” gritaram os manifestantes, entre os quais se encontravam figuras do partido de inspiração islâmica Ennahdha.

Partidários da coligação Al-Karama, partido ultraconservador aliado do Ennahdha, também participaram na manifestação, assim como figuras de esquerda.

“É uma manifestação para mostrar que há tunisinos e tunisinas que recusam o golpe de Estado e as medidas tomadas pelo presidente Saied”, disse à AFP Jawhar Ben Mbarek, especialista em direito constitucional e antigo conselheiro da presidência do governo, de esquerda.

A 25 de Julho, Said demitiu o primeiro-ministro Hichem Mechichi, suspendeu o parlamento e arrogou-se o poder judicial por um mês renovável, medidas que prolongou a 24 de Agosto “até nova ordem”.

Entretanto evocou a possibilidade de alterar a Constituição, aprovada em 2014 e que instaurou um sistema híbrido, nem presidencial nem parlamentar, fonte de conflitos recorrentes entre os dois poderes.

“Essas medidas violam a Constituição”, disse Ben Mbarek.

Manifestamo-nos para “proteger a nossa liberdade e os nossos direitos depois de ver sinais consistentes de regressão que minam o processo democrático” na Tunísia, acrescentou.

Diante da multidão compacta, algumas dezenas de militantes favoráveis a Kais Saied pediram a dissolução do parlamento, gritando palavras de ordem anti-Ennahdha e contra o seu líder Rached Ghannouchi, presidente do parlamento suspenso.

Para justificar o seu golpe de força, o Presidente Saied baseou-se no artigo 80 da Constituição, que prevê medidas excepcionais em caso de “perigo iminente” para a segurança nacional. Mas várias organizações não-governamentais, partidos políticos, magistrados e advogados dizem recear uma “deriva autoritária”.

Inforpress/Lusa/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos