Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Mais de metade das 330 mil plantas de morango importadas já foram vendidas – ministro (c/áudio)

João Teves, 22 Jun (Inforpress) – O ministro da Agricultura e Ambiente afirmou hoje que 54 por cento (%) das 330 mil plantas de morango das seis variedades diferentes importadas já foram vendidas e que as ilhas de Santiago e Fogo lideram nas aquisições.

Gilberto Silva avançou esta informação à imprensa no final de uma visita realizada hoje às parcelas dos agricultores de São Lourenço dos Órgãos e de Santa Cruz que adquiriram as plantas de morango importadas no passado mês de Fevereiro, para constatar ‘in loco’ o processo de produção e a evolução das culturas.

“A ilha de Santiago, com quase 69 mil, e a do Fogo, com 63 mil plantas, são as grandes campeãs da aquisição das plantas de morango. Isto demonstra que as ilhas mais agrícolas estão a tirar maior proveito dessa oportunidade”, notou o ministro.

Por outro lado, o governante reiterou que com a importação dessas 330 mil plantas de morango como Melissa, Marisol, Albion, San Andreas, Portola e Cabrillo, num investimento que rondou os nove mil contos, Cabo Verde vai poder se dedicar à produção de morango durante o ano inteiro e não apenas entre os meses de Novembro e Abril.

Não obstante, ainda não terem atingido tal meta, assegurou que o Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) está a trabalhar com os agricultores para que estes possam se dedicar à produção de morango durante o ano inteiro, tendo em conta que estas variedades são resistentes à seca e às mudanças climáticas, doenças e pragas.

Gilberto Silva lembrou que é com este propósito, que o Governo importou estas seis variedades diferentes de morango para que possam testá-las e ver quais é que têm maior adaptação às condições agro-geológicas.

É que, conforme explicou, há variedades que podem se adaptar bem em São Lourenço dos Órgãos e não em Ribeira dos Picos, em Santa Cruz e vice-versa.

Entretanto, Gilberto Silva mostrou-se satisfeito com os resultados já alcançados, mesmo estando no início, tendo em conta que vários agricultores já estão a produzir morangos e a vender a 500 escudos quilogramas (kg).

No seu entender, isso demonstra que o morango é uma planta que dá rendimento, que vai diversificar muito mais a mesa das famílias, que vai contribuir para a segurança alimentar e maior consumo de frutas.

Por isso, assegurou que o ministério que tutela vai continuar a importar plantas de morango.

Assim como o Governo, os agricultores acreditam que vai ser possível produzir o morango durante o ano inteiro, tendo em conta que ainda não notaram a presença de nenhuma praga, mas, para que tal aconteça, afirmam que o problema de água que se faz sentir de momento tem que ser resolvido.

A este, propósito, o ministro Gilberto Silva garantiu que com a chegada da água dessalinizada a partir da cidade da Praia para o consumo domiciliar, os furos vão ser liberados para a agricultura que vai ter mais água disponível.

No entanto, alertou que só mais água disponível não vai ser o suficiente para a agricultura, mas, que vai ser necessário que se poupe a água com a implementação irrigação gota-a-gota, e ainda a introdução de um produto no futuro para que a água fique retido mais tempo no solo e aposta em culturas que dão mais rendimentos, como por exemplo o morango.

FM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos